Arte e Indústria na Arquitetura Moderna

Objetivos:

Refletir sobre produção arquitetônica da primeira metade do século XX, tomando como base os principais temas que informaram a ideia de Movimento Moderno e observando os seus limites e problemas em função das revisões ocorridas a partir do segundo pós guerra.

Justificativa:

O curso analisa a Arquitetura Moderna tomando como eixo principal a relação entre arte e indústria, nó central das formulações arquitetônicas modernas. Este tema é problematizado a partir de sua fortuna crítica nos debates internacionais das primeiras décadas do século XX, e posterior incorporação pela historiografia arquitetônica, de forma a contribuir para a constituição da ideia de Movimento Moderno. Os desdobramentos deste enfoque são verificados no plano nacional e internacional visando fornecer subsídios teóricos e visão crítica que elucidem sobre a produção arquitetônica do século XX. Com esta abordagem busca-se analisar a arquitetura inserida num campo cultural mais amplo, com ênfase nos diálogos que a arquitetura estabelece com as artes plásticas no período.

Conteúdo:

O desenvolvimento da indústria e a crise do artesanato. Equilíbrio entre arte e produção. O ornamento e a definição de uma figuratividade funcional. Figurativo e abstrato. Ampliação do campo de atuação arquitetônico e o predomínio das tendências construtivas: o objeto pensado como generalização formal em função da reprodução mecânica em série. A construção da ideia de Movimento Moderno: os congressos internacionais de Arquitetura Moderna e a historiografia arquitetônica. O segundo pós-guerra e os temas críticos do período: nova monumentalidade e síntese das artes. Aspectos da crise da arte moderna. Arquitetura Moderna no Brasil: a síntese das artes e a relação com a tradição. São Paulo, metrópole e arquitetura moderna: a presença das tendências construtivas. Os Congressos de Arte e de Arquitetura: arquitetura brasileira e o diálogo com a situação internacional.

Forma de Avaliação:

Avalição feita a partir de seminários realizados em aula, versando sobre a bibliografia do curso e por um trabalho de pesquisa proposto pelo aluno.

Observação:

No último período do credenciamento disciplina tem sido oferecida de forma continuada com bons resultados, no segundo semestre dos anos 2009, 2011, 2012.

Bibliografia:

ARQUITETURA e ARTE
ARGAN, Giulio C. Walter Gropius e a Bauhaus. Lisboa, Ed. Presença, 1984.
____ Arte Moderna. São Paulo: Cia das Letras, 1992
____ Arte e Crítica de Arte. Lisboa, Editorial Estampa, 1988.
____ Projeto e Destino. São Paulo, Editora Ática, 2000.
BAAR Jr., Alfred H. La definición del arte moderno. Madrid, Alianza Editorial 1989.
BANHAM, Reyner Teoria e projeto na primeira era da máquina. São Paulo, Ed. Perspectiva, 1975.
____ El Brutalismo en Arquitectura. Barcelona, Gustavo Gili, 1966.
BURGER, Peter Teoria da Vanguarda. São Paulo, Cosac Naify, 2008.
CABANNE, Pierre Marcel Duchamp: Engenheiro do Tempo Perdido. São Paulo, Ed. Perspectiva, 1987.
COHEN, Jean-Louis Le Corbusier. La planète comme chantier. Paris, Les Éditions Textyel, 2005.
_____ Le Corbusier 1887-1965. Lirismo da Arquitetura da Era da Máquina. London, Taschen, 2005.
_____ Ludwig Mies Van Der Rohe. Bari, Laterza, 2011.
COSTA, Xavier/ HARTRAY, Guido (org.) Sert. Arquitecte a Nova York. Barcelona, MACBA, 1997.
CURTIS, Penelope Patio and Pavilion. The Place of Sculture in Modern Architecture. Londres- Los Angeles, Ridinghouse-The Paul Getty Museum,2008.
DAL CO, Francesco Teorie del Moderno. Architettura Germania 1880-1920.Roma-Bari, Laterza,1985.
DAMAZ, Paul Art in European architecture; Syntèse des arts. Prefácio Le Corbusier. New York, Reinhold, 1956.
DE BENEDETTI, M./ PRACCHI, A. Antologia dell’architettura moderna. Testi, Manifesti, Utopie. Bologna, Zanichelli, 1988.
DE MICHELE, Mário Le Avanguardie Artistiche del Novecento. Milano, Feltrinelli, 1987.
CURTIS, William J.R. Arquitetura Moderna desde 1900. Porto Alegre, Bookman, 2008.
FERREIRA, Glória/ COTRIN, Cecília (org.) Clement Greenberg e o debate crítico. Rio de Janeiro, Funarte / Jorge Zahar Editor, 1997.
FOSTER, Hal Recodificação. Arte, Espetáculo, Política Cultural. São Paulo, Casa Editorial Paulista, 1996.
_____ Design and Crime. New York: Verso, 2002.
FRAMPTON, Kenneth. História Crítica da Arquitetura Moderna. São Paulo: Martins Fontes, 1997.
GABETTI, Roberto/OLMO, Carlo Le Corbusier e “L’ Esprit Nouveau”. Torino, Einaudi, 1975.
GIEDION, Siegfried A Decade of Contemporary Architecture. Zurich, Girsberger, 1954.
____ Espaço, Tempo e Arquitetura. O Desenvolvimento de uma Nova Tradição. São Paulo, Martins Fontes,2004.
____ Arquitectura y Comunidad. Buenos Aires, Nueva Visión, 1957.
HARRISON, Charles/ WOOD,Paul Art in Theory – 1900/1990. Oxford, Blackwell, 1993.
HARVEY, David Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo, Loyola, 2002.
HITCHCOCK, Henry-Russell Latin American Architecture since 1945. New York. The Museum of Modern Art, 1955.
HUYSSEN, Andreas Memórias do Modernismo. Rio de Janeiro, UFRJ, 1997.
KRAUSS, Rosalind Caminhos da escultura Moderna. São Paulo, Martins Fontes,1998.
_____ The Originality of the Avant-garde and Other Modernist Myths. Cambridge, MIT Press, 1986.
LE CORBUSIER A Arquitetura e as Belas Artes, in Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional n.19, 1984.
_____ A Arte decorativa. São Paulo, Martins Fontes,1996.
_____ Scritti. A cura di Rosa Tamborrino. Torino, Einaudi, 2003.
LEGER, Fernand Funções da Pintura. São Paulo, Difel, s.d.
LOOS, Adolf Ornamento y Delito y Otros Escritos. Barcelona, Gustavo Gili, 1972.
MALDONADO, Tomás Max Bill. Buenos Aires, 1955.
____ (org.) Técnica e Cultura. Il dibattito tedesco fra Bismarck e Weimar. Milano, Feltrinelli, 1987
MARCHÁN FIZ, Simon Contaminaciones Figurativas. Imágenes de la arquitectura y la ciudad como figuras de lo moderno. Madrid, Alianza Editorial, 1986.
MONDRIAN, Piet Neoplasticismo na pintura e na arquitetura. Martins, Carlos A.F.(org). São Paulo, Cosac Naify, 2008, p.127-144.
MONTANER, Joseph M. Después del Movimiento Moderno. Arquitectura de la segunda mitad del siglo XX. Barcelona, Editorial Gustavo Gili, 1993.
MUNFORD,Eric The CIAM Discourse on Urbanism, 1928-1960. London, Massachusetts, The MIT Press,2000.
OCKMAN, Joan Architecture Culture 1943-1968. A Documentary Anthology. New York. Columbia Book of Architecture / Rizzoli, 1996.
PAZ, Octavio O Ocaso da Vanguarda, in Os Filhos do Barro. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1984.
PELKONEN, Eeva-Lisa/ LAAKSONEN, Esa (org) Architecture+Art. New Visions, New Strategies. Helsinki, Alvar Aalto Academy, 2007.
PEVSNER, Nikolaus Os Pioneiros do Desenho Moderno. Lisboa – Rio de Janeiro, Editora Ulisséia,1962.
RICKEY, George Construtivismo – origens e evolução. São Paulo, Cosac Naify, 2002.
ROGERS, E.N.; SERT,J.L.; TYRWHITT,J. Il Cuore della città: per una vita più umana delle comunità. Congressi Internazionali de Architettura Moderna. Milano, Hoepli Editore, 1954.
SERT, José Luis The Human Scale in City Planning. In Paul Zucker New Architecture and City Planning. New York. Philisophical Library, 1944.
SMITHSON, Alison e SMITHSON, Peter. Team 10 Primer. Londres: Studia Vista, 1968
SOLÀ-MORALES, Ignasi Inscripciones. Barcelona, Ed. Gustavo Gili,2003.
SYLVESTER, David Sobre Arte Moderna. São Paulo, Cosac Naify, 2006.
TAFURI, Manfredo./ DAL CO, Francesco Architettura Contemporanea. Milano, Electa, 1979.
TAFURI, Manfredo Teorias e História da Arquitetura. Lisboa, Ed. Presença/ Martins Fontes, 1979.
____ La Sfera e il Labirinto. Avanguardie e Architettura da Piranesi agli anni 70. Torino, Einaudi, 1980.
VAN DE VELDE, Henry Formule della bellezza architettonica moderna. Bologna, Zanichelli, 1991.
VIDLER, Anthony Histories of the Immediate Present. Inventing Architectural Modernism. Massachusetts, The MIT Press, 2008.
WAGNER, Richard “ L´ouvre d”art de l”avenir (1850). In Jacques Schereret alii Esthéthique Théatrale. Textes de Platon à Brecht, Paris, C.D.U. et SEDES Réunis, 1982.
WORRINGER, Wilhelm Astrazione e Empatia. Torino, Einaudi, 1975.
ZEVI, Bruno Storia dell’ Architettura Moderna. Torino, Einaudi, 1950.

ARQUITETURA E ARTE – BRASIL
ACAYABA, Marlene M. Branco & Preto uma história do design brasileiro nos anos 50, São Paulo, Instituto Lina Bo e P.M.Bardi, 1994.
ALMEIDA, Paulo.M.de De Anita ao Museu, São Paulo, Ed. Perspectiva, 1976.
AMARAL, Aracy A. (org.) Projeto Construtivo Brasileiro na Arte.(1950-1962), Rio de Janeiro – São Paulo, MEC-FUNARTE, 1977.
____ Arte para quê? A preocupação social na arte brasileira 1930-1970. São Paulo, Ed. Nobel, 1984.
_____ (coord.) Arte Construtiva no Brasil. Coleção Adolpho Leiner. São Paulo, Companhia Melhoramentos, DBA, 1998.
______ (coord.) Waldemar Cordeiro uma aventura da razão. São Paulo, MACUSP, 1986. (catálogo)
ANDREOLI, Elisabetta/ FORTY, Adrian (org) Arquitetura Moderna Brasileira. Londres, Phaidon Press, 2004.
ARANTES, Otília B.F. Mário Pedrosa. Itinerário Crítico. São Paulo, Scritta Editorial, 1991.
ARANTES, Otília B.F./Arantes Paulo E. Sentido da Formação. Três estudos sobre Antonio Cândido, Gilda de Mello e Souza e Lúcio Costa. São Paulo, Paz e Terra, 1997
ARRUDA, Maria Arminda do Nascimento Metrópole e Cultura. São Paulo no meio do século XX. Bauru, EDUSC, 2001.
BANDEIRA, João (org) Arte Concreta Paulista: documentos. São Paulo, Cosac Naify, 2002.
BARDI, Pietro M. The arts in Brasil, a new museum at S.Paulo, Milano, Del Milione, 1956.
____ O Design no Brasil, história e realidade. São Paulo, MASP, 1982.
BARDI, Lina Bo Tempos de Grossura: o design no impasse. São Paulo, Instituto Lina Bo e Pietro Maria Bardi, 1994. (coord. editorial Marcelo Suzuki)
BRITO, Ronaldo Neoconcretismo: vértice e ruptura do projeto construtivo brasileiro. São Paulo, Cosac Naify, 1999.
BRUAND,Yves Arquitetura Contemporânea no Brasil. São Paulo, Ed. Perspectiva, 1981.
CONGRESSO Internacional Extraordinário de Críticos de Arte; coordenação editorial Maria da Silveira Lobo e Roberto Segre. Rio de Janeiro, UFRJ/FAU, 2009.
COSTA, Lúcio Lúcio Costa. Registro de uma vivência. São Paulo, Emprensa das Artes, 1995.
DAMAZ, Paul Art in Latin American architectures. Prefácio Oscar Niemeyer. New York, Reinhold, 1963.
DUARTE, Paulo Sérgio Anos 60. Rio de Janeiro, Campos Gerais, 1998.
DURAND, José C. Arte, Privilégio e Distinção. São Paulo, Ed. Perspectiva, 1989.
FARIAS, Agnaldo Arte Brasileira Hoje. São Paulo, Publifolha, 2002.
_____ (org) Bienal 50 anos 1951-2001. São Paulo, Fundação Bienal de São Paulo, 2001.
FARIAS, Agnaldo/ FERNANDES, Fernanda (org) Arte e Arquitetura. Balanço e Novas Direções. Brasília, Fundação Athos Bulcão/ Editora Universidade de Brasília, 2010.
GOODWIN, Philip Brazil Builds. Architecture new and old. 1652-1942. New York, MOMA, 1943.
GORELIK, Adrian Das Vanguardas a Brasília. Cultura urbana e Arquitetura na América latina. Belo Horizonte, Editora UFMG, 2005.
GUERRA, Abílio (org) Textos Fundamentais sobre história da arquitetura moderna brasileira. São Paulo, Romano guerra, 2010. ( 2 vols)
LOURENÇO, Maria Cecília F. Operários da Modernidade. São Paulo, EDUSP/HUCITEC, 1995.
MACHADO, Lourival G. Retrato da Arte Moderna do Brasil. São Paulo, Departamento de Cultura, 1947.
MINDLIN, Henrique Modern Architecture in Brasil. Rio de Janeiro, Colibris, 1956.
PAGLIA, Dante Arquitetura na Bienal de São Paulo. São Paulo, EDIAM, 1952.
PEDROSA, Mário Mundo, Homem, Arte em Crise. São Paulo, Ed. Perspectiva, 1975.
____ Dos Murais de Portinari aos Espaços de Brasília. São Paulo, Ed. Perspectiva, 1981.
SANTOS, Cecília Rodrigues dos, et al. Le Corbusier e o Brasil. São Paulo, Tessela/Projeto, 1987.
SEGAWA, Hugo Arquiteturas no Brasil. 1900-1990. São Paulo, Edusp, 1998.
SEGRE, Roberto et.al.(org) Arquitetura+Arte+Cidade: um debate internacional. Rio de Janeiro, Viana & Mosley, 2010.
XAVIER, Alberto (org) Depoimento de uma geração. Arquitetura Moderna Brasileira. São Paulo, Cosac Naify,2003

Código
Créditos
Área de Concentração