Arte para Cidade

Objetivos:

A disciplina abordará distintas concepções e debates sobre as relações entre arte e cidade, especialmente nos últimos trinta anos, analisando-se nexos então propostos. O curso objetiva também o estudo, tanto de textos de época, quanto de obras, tendo em vista a importância de ambos para a reflexão das transformações ocorridas. Deseja-se desenvolver um instrumental crítico, de modo a interpretar a arte dentro da trama de complexidade em que foi proposta, incluindo-se a recepção gerada e os valores então estabelecidos. O curso será realizado por meio de aulas, visitas e seminários. Estes serão sobre textos historiográficos selecionados e sobre a produção artística dos vários períodos, sempre vinculados ao tema arte/cidade e ao enfoque da unidade em andamento.

Justificativa:

A relação entre arte e cidade desde os Anos 60 do último século vem assumindo distintas formas. Por um lado contestam-se as instituições, por outro se busca uma ação protagonista de forma a denunciar e agir no casco urbano, com vistas a modificar determinados fatores como a celeridade, fragmentação e gentrificação encontradas no viver urbano.

Conteúdo:

I PARTE: ARTE E ARTISTAS NA CONTEMPORANEIDADE Contra a tradição, instituições e estatuto artístico Apropriação e re-apropriação Arte e pensamento divergente Interferências, desafios e limites II Parte – ARTE E ATUAÇÃO Território e mundialização Experimentalismo e ativismo Cidade versus natureza Arte na sociedade do espetáculo III Parte – EFÊMERO versus PERMANENTE Corpo na arte processual realizada no espaço urbano Imagens e Novos Usos Monumentos e arte processual urbana Multiculturalismo e o discurso da periferia

Forma de Avaliação:

Observação:

Cada aluno deverá realizar Seminários, individual, geral e em grupo, e um Trabalho Final. Este será individual em formato de artigo para revista, à escolha e incluindo-se eletrônica, tendo entre 6-10 páginas, contando-se aquelas reservadas para imagens, notas e ilustrações. Cada participante abordará no Trabalho Final problemas da atualidade encontrados na musealização de obras modernas e contemporâneas. Preferencialmente sugere-se que a questão esteja vinculada à dissertação, ou ao doutorado do aluno, propiciando uma análise dentro das premissas discutidas no curso.

Bibliografia:

I PARTE – ARTE E ARTISTAS NA CONTEMPORANEIDADE
AMARAL, Aracy Abreu. Arte para quê? A preocupação social na arte brasileira (1930-1970). São Paulo: Nobel, 1984.
AUGÉ, Marc. Não-lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. São Paulo: Papirus, 1994.
BELTING, Hans. O fim da História da Arte: uma revisão dez anos depois. São Paulo, CosacNaif, 2006.
CALINESCU, Matei. Five Faces of Modernity: Modernism, Avant-Garde, Decadence, Kitsch, Postmodernism. Durham: Duke University Press, 1987. (As 5 faces da modernidade. Lisboa: Presença. (1988).
CAUQUELIN, Anne. Arte contemporânea: uma introdução. São Paulo, Martins, 2005, p.55-84.
CONNOR, Steven. Cultura pós-moderna: introdução às teoria do contemporâneo. São Paulo: Loyola, 1989.
DANTO, Arthur. The transfiguration of the common place, New York: Harvard University Press, 1981
FERREIRA, Glória & COTRIM, Cecília. Escritos de artistas: anos 60 e 70. Rio de Janeiro, Zahar, 2006.
VATIMO, Gianni. O fim da modernidade, nihilismo e hermenêutica na cultura pós-moderna, Lisboa: Presença. (1988)

? II Parte – ARTE E ATUAÇÃO

FONSECA Cristina. A Poesia do Acaso: na transversal da cidade. São Paulo, T.A. Queiroz, 1981.
FOSTER, Hal. O retorno do real: as vanguardas ao final do século. Rio de Janeiro, Concinitas, 2005.
GUASH, Anna Maria. El arte ultimo del siglo XX: del posminimalismo a el multicultural. Madrid, Alianza, 2000.
HARVEY, David. A condição pós moderna. 11 ed. São Paulo, Loyola, 2002.
HERSCHMANN, M. (o). Abalando os anos 90; funk e hip hop, Rio de Janeiro, Rocco, 1997.
LARA, Arthur Hunold. Grafite: arte urbana em movimento. São Paulo, Usp, 1996 (Tese doutorado).
ROCHA, J. DOMENICH, M. CASSEANO, P. Hip hop: a periferia grita. São Paulo, FPA, 2001.
SCAVONE Marcio. A Cidade Ilustrada. São Paulo, Alice Publishing, 2004.
LYOTARD, Jean-François. Le postmoderne expliqué aux enfants: correspondance (1882-: correspondance (1982-1985). Paris: Galilé, 1996.
VIRILIO, Paul. O Espaço Crítico. Rio de Janeiro, Editora 34, 1993.

? III Parte –MEMÓRIA: EFÊMERO versus PERMANENTE
BALANDIER, Georges. O dédalo: para finalizar o século XX. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, 1999.
GLUSBERG, Jorge. A arte da performance. São Paulo, Perspectiva, 1987.
HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo, Vértice, 1990.
——— A memória coletiva. São Paulo, Centauro, 2004
HUYSSEN, Andreas. Seduzidos pela memória: arquitetura, monumentos, mídia. Rio de Janeiro, Aeroplano/ UCM/ MAM/RJ, 2000
JEUDY, Henri-Pierre. Memória do social. Rio de Janeiro, Forense, 1990.
MONTANER, Josep Maria. Arquitectura y critica. Barcelona: Gustavo Gili, 1999.
NORA, Pierre. Les lieux de mémoire. Paris: Gallimard, 1985.
LOURENÇO, Maria Cecília França. Operários da modernidade. São Paulo, HUCITEC/ EDUSP, 1995.
RAHME, Anna Maria Abrão Khoury. Imagens Femininas em Memória à Vida; a escultura nos cemitérios da Consolação, Araçá e São Paulo, de 1900 a 1950. São Paulo, FAUSP, 2000. (Dissertação Mestrado).
——– Inovar e conservar: ambigüidade no Monumento Constitucionalista. São Paulo, FAUSP, 2005. (Tese Doutorado).

Código
Créditos
Área de Concentração