Cidade e Cultura: Tensões Contemporâneas em Relação à Arquitetura e à Arte Urbana

Objetivos:

A disciplina examina as transformações ocorridas nas relações entre cidade e cultura a partir dos anos sessenta, nos campos da arquitetura e da arte urbana. Discute-se o estreitamento das relações entre cultura e mercado e os processos de estetização urbana que lhe são concomitantes, nos quais a cultura assumiu um papel decisivo. Em relação á arquitetura estudam-se as modificações implementadas no âmbito estético e projetual que caracterizam a arquitetura contemporânea, assim como a sua inserção em estratégias de revalorização urbana e imobiliária. Esta análise crítica do papel da cultura na atualidade estende-se à arte urbana, buscando-se identificar alguns de seus pontos de inflexão, assim como indagações que esta tem suscitado para a arte contemporânea e para a os espaços urbanos, sobretudo aqueles de caráter público.

Justificativa:

A chamada ‘Era da Cultura’, correspondente ao estágio da sociedade capitalista contemporânea, tem gerado significativas transformações espaciais. Os processos de ‘culturalização’ afetaram as relações políticas e econômicas, adentrando as várias dimensões da vida social. Em relação à cidade, a cultura assumiu neste período um papel crucial, porém com sinal trocado, na medida em que se tornou isca de consumo e fonte de grande apelo em projetos de revalorização urbana, incluídos aí os usuais deslocamentos de grupos sociais mais vulneráveis, por estes provocados. Esta espetacularização da dimensão cultural, característica desta etapa associada ao capitalismo financeiro, foi acompanhada de mudanças sistêmicas estruturais nas relações de trabalho e diminuição de garantias sociais. Os espaços públicos tornaram-se um dos focos mais diretos a apontar a cenarização da produção simbólica segundo o caráter efêmero e da superficialidade, neles estampando-se o desinvestimento em relação a certas práticas de sociabilidade e vida urbana, com impactos nada desprezíveis sobre o modo como habitamos. O curso põe em debate as interpretações sobre os modos pelos quais essa situação sócio-histórica contemporânea tem sido formalizada em obras de arquitetura e intervenções de arte urbana, buscando-se elucidar suas principais contradições.

Conteúdo:

Módulo 1: Cidade e Cultura: tensões contemporâneas . o capitalismo financeiro e a sua lógica cultural . a aceleração da imagem e a generalização do estético . a derrocada do pensamento de oposição . o dissenso em tempos de crise Módulo 2: Transformação urbana e arquitetura contemporânea . as mudanças de estratégias em projetos urbanos . a construção de ‘monumentos de dissuasão cultural’ . modos de ascendência da arquitetura sobre a cidade . o projeto de arquitetura, sua realidade social e seus discursos. Módulo 3: Arte e espaço urbano . as tensões entre o estético e o político . a deflação do sentido e a perda da contundência crítica na arte . a ressemantização das noções de autoria, público, circuito e lugares da arte urbana . formalizações estéticas e os conflitos sociais urbanos

Forma de Avaliação:

A metodologia de ensino estará baseada em aulas expositivas, seminários e debates. Para o aluno é obrigatória a apresentação de seminário

Observação:

Esta bibliografia é complementada com títulos indicados no decorrer da disciplina

Bibliografia:

ADORNO, Theodor., HORKHEIMER, Max. Dialética do Esclarecimento: fragmentos filosóficos. Trad. Guido Antonio de Almeida. Rio de Janeiro, Zahar, 1985.
________, Funcionalismo hoje. Revista Gávea, Rio de Janeiro, Pontifícia. Universidade Católica, V.15.
ANDERSON, Perry. As origens da pós-modernidade. Trad. Marcus Penchel. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.
ARANTES, Otília B. F. O lugar da arquitetura depois dos modernos. São Paulo, Edusp, 1993.
________. Urbanismo em fim de linha. São Paulo, Edusp, 1998.
ARANTES, Otília, B. F; VAINER, Carlos; MARICATO, Ermínia. A cidade do pensamento único. São Paulo, Vozes, 2000.
BAUDRILLARD, Jean. As estratégias fatais. Trad. Ana Maria Scherer .Lisboa, Editorial Estampa, 1990.
________. De um fragmento a outro. Trad. Guilherme João de Freitas Teixeira. São Paulo, Zouk, 2003.
________. À sombra das maiorias silenciosas. Trad. Suely Bastos. São Paulo: Brasiliense. 1985.
BENHABIB, Seyla. The Claims of culture. New Jersey, Princeton University Press, 2002.
BENJAMIN, Walter. Magia e Técnica, Arte e Política (obras escolhidas). Trad. Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo, Brasiliense, 2ª.ed., 1986.
BURGER, Peter. Teoria da Vanguarda. Trad. José Pedro Antunes. São Paulo, Cosac Naify, 2008.
CARLOS, Ana Fani A. Geografias de São Paulo. São Paulo, Contexto, 2004. CONNOR, Steven. Cultura Pós-moderna: introdução às teorias do contemporâneo. Trad. Adail Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Loyola, 1993.
DAVIS, Mike. Planeta Favela. Trad. Beatriz Medina. São Paulo, Boitempo, 2006.
DEBORD, Guy. A Sociedade do Espetáculo. Trad. Estela dos Santos Abreu. 1967. Rio de Janeiro, Contraponto, 1997.
DEUTSCHE, Rosalyn. Evictions – art and spatial politics. Cambridge, MIT Press, 1996.
EAGLETON, Terry. As ilusões do pós-modernismo. Trad. Elisabeth Barbosa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.
________. A idéia de cultura. Trad. de Sandra Castello Branco, UNESP, 2005. ESPAÇO E DEBATES. Revista de Estudos Regionais e Urbanos. no.40 – Arquitetura e Cidade (1998); no. 43-44 – Cidade, Cultura, (In)Civilidade (2003); n. 46 – Espaço Público (2005). São Paulo, NERU.
FEATHERSTONE, Mike. Cultura de Consumo e Pós-modernidade. São Paulo: Nobel, 1996.
FOSTER, Hal. (org.). The anti-aesthetic: essays on postmodern culture. Port Towsend, Bay Press, 1983.
________. Recodificação: Arte, Espetáculo, Política Cultural. Trad. Duda Machado. São Paulo, Casa Editorial Paulista, 1996.
________. Design and crime (and other diatribes). London, Verso, 2002. HABERMAS, Jürgen. Mudança Estrutural da Esfera Pública. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1984.
________. Arquitetura moderna e pós-moderna. Trad. Carlos Eduardo Jordão Machado. In: Novos Estudos Cebrap, no.18, 1987, pp.115-124.
HANSEN, João Adolfo. A temporalidade na cultura contemporânea. A Temporalidade na Cultura Contemporânea. In: Vera Pallamin; Joaci Pereira Furtado. (Org.). Conversas no Ateliê. Palestras sobre Artes e Humanidades. 1 ed. São Paulo: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo- USP, 2002, pp. 11-26. HARVEY, David. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. Trad. Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves. São Paulo, Ed. Loyola, 1993.
________. O novo imperialismo. Trad. Adail Sobral e Maria Stela Gonçalves. São Paulo, Ed. Loyola, 2004.
HELLER, Agnes; FEHÉR, Ferenc. A condição política pós-moderna. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.
HOLANDA, Heloísa Buarque de (org.), Pós-modernidade e política. Rio de Janeiro, Rocco, 1991.
JAMESON, Fredric, “Pós-modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio”, São Paulo, Ática, 1996.
_________, “A cultura do dinheiro: ensaio sobre a globalização”, Petrópolis, Vozes, 2001.
_________, “Pós-Modernidade e Sociedade de Consumo”. In São Paulo, “Novos Estudos CEBRAP”, no. 12, junho de 1985.
KWON, Miwon. One Place after Another: Site-Specific Art and Locational Identity. Cambridge, MIT Press, 2002.
LYOTARD, Lean-François. O pós-moderno. Trad.Ricardo Correia Barbosa Rio de Janeiro, José Olympio. 1990.
________. O Inumano: considerações sobre o tempo. Trad. Ana Cristina Seabra e Elisabete Alexandre. Lisboa: Editorial Presença, 1990.
________. O pós-moderno explicado às crianças. Trad. Teresa Coelho. Lisboa: Dom Quixote, 1993.
MARICATO, Ermínia. Metrópole na periferia do capitalismo, São Paulo, Hucitec, 1996.
________. Metrópole de São Paulo, entre o arcaico e a pós-modernidade”. Em SOUZA, M. A. de et alii. Metrópole e globalização. São Paulo, Cedesp, 1999. MESQUITA, André. Insurgências poéticas. Arte Ativista e Ação Coletiva (1990-2000). São Paulo, Annablume, 2011.
NESBITT, Kate. (org). Uma nova agenda para a arquitetura. Antologia teórica (1965-1995). Trad. Vera Pereira. Coleção Face Norte. Cosac Naify, São Paulo, 2006.
OLIVEIRA, Francisco; RIZEK. Cibele. A era da indeterminação. São Paulo, Boitempo, 2007.
ORTIZ, Renato. Reflexões sobre a pós-modernidade: o exemplo da arquitetura. In: Revista de Ciências Sociais, nº20, ano 7, out.92, pp135-147.
PALLAMIN. Vera (org).. Cidade e Cultura: esfera pública e transformação urbana. São Paulo, Estação Liberdade, 2002.
RANCIÈRE, Jacques. O Desentendimento. Trad. Ângela Leite Lopes. São Paulo, Ed. 34, 1996.
________. Malaise dans d’ esthétique. Paris, Galilée, 2004.
________. Le destin des images. Paris, La Fabrique éditions, 2003.
SMITH, Neil. The New Urban Frontier: Gentrification and the Revanchist City. New York, Routledge, 1996.
SOARES, Marcos; CEVASCO, Maria Elisa. Crítica Cultural Materialista. São Paulo, Humanitas, 2009.
TAFURI, Manfredo; DAL CO, Francesco. Arquitectura Contemporanea, Madrid, Ed. Aguilar 1978.
ZUKIN, Sharon. Landscapes of Power. Berkeley / Los Angeles, University of Califórnia Press, 1991.
________. The Cultures of Cities. Cambridge, Blackwell, 1995.
________. Naked City: The Death and Life of Authentic Urban Places, Oxford, Oxford University Press, 2010.
WILLIAMS, Raymond. Cultura. Trad. Lólio Lourenço de Oliveira. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2008.

Código
Créditos
Área de Concentração