Design Centrado no Usuário: Princípios, Métodos e Aplicações

Objetivos:

Considerando o indivíduo como ponto central da ação projetual do design, a disciplina tem como objetivo apresentar os princípios e métodos relacionados à abordagem do design centrado no usuário, assim como aplicações na análise e no desenvolvimento de projetos, tanto na área do design e produto como na de comunicação visual. Pretende aprofundar as competências na problematização e o domínio das técnicas de investigação acerca da tríade sujeito / cenário / objeto, capacitando o pesquisador a analisar o design do cotidiano privilegiando a leitura com foco no sujeito e suas ações.

Justificativa:

A centralidade no sujeito é fundamental para que se desenvolvam boas soluções de design. Com a obsolescência programada, muitas empresas optam por um “design descartável”, que implica em decisões projetuais que privilegiem o rápido desgaste e conseqüente substituição do produto ou mensagem visual. Com foco na produção, essa cultura projetual e de produção afasta o design das reais necessidades de seus usuários. A relação projetista – usuários necessita, antes de mais nada, de uma mudança nos procedimentos de aproximação entre eles. Considerando aportes teóricos oriundos das áreas de psicologia humanista, sociologia e antropologia, associados aos procedimentos propostos para o UCD (user-centred design), é possível melhorar tanto os procedimentos de análise quanto o desenvolvimento de projetos em diversos segmentos do design, sejam eles de caráter mais utilitário, lúdico, gráfico ou virtual.

Conteúdo:

Sociedade industrial e pós-industrial : impactos no indivíduo nas esferas local e global; relações com o ambiente artificial – criação, produção, circulação e uso de bens. As necessidades e desejos humanos – múltiplas abordagens: evoluções, segmentações, divergências e complementaridades. O comportamento de consumo; estilos de vida e relação com objetos e mensagens visuais. A psicologia humanista / social e o personagem: do usuário ao indivíduo, ao humano. Problematização e respostas do design às necessidades, desejos e comportamento humano em relação ao ambiente artificial – objetos e mensagens visuais. User-centered design: conceituação, abordagens e campos de aplicação, revisão bibliográfica. User-centered design: métodos e ferramentas de análise de projetos. User-centered design: aplicações no desenvolvimento de projetos – casos práticos. User-centered design: análise crítica e identificação de oportunidades de atuação

Forma de Avaliação:

A avaliação considerará: Leituras dos textos indicados, participação nas atividades, apresentação de trabalho final, pontualidade e qualidade do material aprese

Observação:

Bibliografia:

ANGROSINO, Michael. Etnografia e observação participante. Porto Alegre: Artmed, 2009.
BAUER, Martin W.; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Um manual prático. 8a. Edição. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.
BAUMAN, Zygmunt. Comunidade : a busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora, 2003.
_______________. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorgge Zahar Editor, 2001.
BANKS, Marcus. Dados Visuais para pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.
BONSIEPE, G. Design: do material ao digital. Florianópolis: FIESC/CIEL, 1997.
_______________. Design, cultura e sociedade. São Paulo: Blucher, 2011.
CERTEAU, Michel de. ALVES, Ephraim Ferreira. A invenção do cotidiano : 1. artes de fazer. 2. ed. – Rio de Janeiro: Vozes, 1994.
CLONINGER, Susan C.. Teorias da personalidade . São Paulo: , 1999.
ENDSLEY, Mica R., BOLTÉ, Betty, JONES, Debra J. Designing for situation awareness: na approach to user-centered design. Georgia, USA: Taylor & Francis, 2005.
ENGEL, James F.; BLACKWELL, Roger D.; MINIARD, Paul W. Comportamento do
consumidor. 9a. ed. Rio de Janeiro: THOMSON PIONEIRA, 2004.
FADIMAN, James; FRAGER, Robert. Teorias da Personalidade. São Paulo: Harbra, 1986.
FLICK, Uwe. Qualidade na pesquisa qualitativa.Porto Alegre: Artmed, 2009.
GARRET, J.J. The Elements of User Experience: User-Centered Design for the Web and Beyond (2nd Edition). Berkeley (USA):, Material, 2010.
HOFFMAN, Donald P. Inteligência visual. Rio de Janeiro: Campus, 2000.
ISO 9241-171:2008 Ergonomics of human-system interaction– Part 171: Guidance on software accessibility
KUNIAVSKY, Mike. Observing the user experience: a practitioner’s guide to users research. San Francisco, USA: Morgan Kaufmann, Elsevier, 2003.
LECOMPTE, Margareth Diane. Designing and conducting ethnographic research. Wallnut Creek, USA: AltaMira Press, 1999. v.1
________________________. Essential Ethnographic Methods: Observations, Interviews, and Questionnaires. Wallnut Creek, USA: AltaMira Press, 1999. v.2

NORMAN, Donald A. O design do dia-a-dia. Rio de Janeiro: Rocco, 2006.
PICHON-RIVIÈRE, Enrique; QUIROGA, Ana Pampliega de. Psicologia da vida cotidiana. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
RODRIGUES, Aroldo. ASSMAR, Eveline Maria Leal. JABLONSKI, Bernardo. Psicologia social . Petropolis: Vozes, 2000.
ROGERS, Carl. Sobre o poder pessoal. 4a. ed.. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
__________. Tornar-se pessoa. 4a. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.
ROSA, m.Virginia F.P.C.; ARNOLDI, Marlene A.G.C. A entrevista na pesquisa qualitativa: mecanismos para validação dos resultados. 1a. Ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.
SANTOS, Milton. Por uma outra globalização. Do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2000.?????
STEEN, M.G.D. The Fragility of Human-Centred Design. S.l:. IOS PRESS, 2008.
Vredenburg, Karel; Isensee, Scott, Righi, Carol. User-Centered Design: An Integrated Approach. London: Prentice Hall, 2001.
WILSON, C. Handbook of User-Centered Design Methods. Morgan Kaufmann, 2011.
Wright, Peter; McCarthy, John; Carroll, John.
Experience-Centered Design: Designers, Users, and Communities in Dialogue (Synthesis Lectures on Human-Centered Informatics). Morgan & Claypoll, 2010.

Bibliografia Complementar:

BAUDRILLARD, Jean. TAVARES, Zulmira Ribeiro. O sistema dos objetos, 70 – São
Paulo: Perspectiva, 2000.
__________________. A sociedade de consumo. Lisboa: Edições 70, 2007.
BOLLAS, Christopher. Sendo um personagem. Rio de Janeiro: Revinter, 1998.
CANCLINI, Nestor Garcia. Consumidores e cidadãos : conflitos multiculturais da globalização – Rio de Janeiro, 1995.
CHAVES, Norberto. El oficio de diseñar: propuestas a la conciencia critica de los que comienzan. Barcelona: Gustavo Gilli, 2001.
DE MASI, Domenico. (org). A sociedade pós-industrial. São Paulo: Senac SP, 1999.
FLUSSER, Vilem. ABI-SÂMARA, Raquel. CARDOSO, Rafael. O mundo codificado : por uma filosofia do design e da comunicação. Rio de Janeiro: Cosac & Naify, 2007.
GADE, Christiane. Psicologia do Consumidor e da Propaganda. Ed. revisada e ampliada. São Paulo: EPU, 1998.
GIDDENS, Anthony. Mundo em descontrole: o que a globalização está fazendo de nós. Rio de Janeiro: Record, 1999.
HARVEY, David. SOBRAL, Adail Ubirajara. GONCALVES, Maria Stela. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural – São Paulo: Loyola, 2006.
HILLMAN, James. Cidade e Alma. São Paulo: Studio Nobel, 1993.
JUNG, Carl G. Os arquétipos e o inconsciente coletivo. Coleção Obras completas de C.G.Jung vol.IX/1. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.
KOSKINEN, Ilpo. BATTARBEE, Katja e MATTELMÄKI, Tuuli. Empathic design. Finland: Edita, 2003.
NORMAN, Donald A.. Things that make us smart : defending human attributes in the age of the machine – Reading: , 1993.
NORMAN, Donald A.. DRAPER, Stephen W. User centered system design : new perspectives on human-computer interaction – Hillsdale, New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, c1986.
SEMPRINI, Andrea. Multiculturalismo. Bauru, SP: EDUSC, 1999.

Código
Créditos
Área de Concentração