Design Gráfico: Precisão e Imprecisão

Objetivos:

Desenvolvimento de experimentos gráficos que deverão tratar com precisão a imprecisão. Reflexão, pesquisa, processo e discussão dos experimentos por meio de uma abordagem amplamente embasada em questões históricas, sociais, econômicas, e políticas que são parte integrante da verdadeira prática do design. De acordo com a evolução dos experimentos serão introduzidas questões complexas e idéias que irão se constituir em instrumentos necessários para decifrar as várias e freqüentes tendências conflitantes em nossa cultura, entendendo como é possível impactar e ao mesmo tempo questionar em design gráfico.

Justificativa:

—Discussão e reflexão sobre design em que a pesquisa experimental é privilegiada. —Abordagem criativa, na qual acidentes podem conduzir a ótimas soluções e só o autor pode reconhecer a diferença entre um acidente e sua intenção original. —Contribuir com o crescimento individual e profissional dos alunos na medida em que privilegia o desenvolvimento de linguagens próprias e individuais, geradoras de regras próprias e livres para cada designer. —Pensar, usando a inteligência na busca de soluções e respostas aos problemas apresentados e lembrando sempre que um trabalho sem percepção, intuição e espontaneidade é privado de humanidade.—Trazer para a discussão conjunta, problemas de equilíbrio, ritmo e sintaxe das formas, organização do campo, relações cromáticas, bem como de pertinência das soluções quanto ao tema dado e sua atualidade.

Conteúdo:

Por meio de leituras, reflexões e exercícios práticos semanais os alunos poderão aperfeiçoar suas linguagens individuais, recriar seu repertório e desenvolver uma visão critica da realidade. Os exercícios serão desenvolvidos, preferencialmente, sob a orientação do professor numa troca constante de informações, respeitando-se, porém, o partido e pesquisas adotados por cada um dos alunos. Serão produzidos 10 experimentos gráficos individuais apoiados na reflexão sobre trabalhos importantes na história do design e que deverão utilizar a tipografia como elemento dominante. Esses experimentos contribuirão no desenvolvimento do projeto experimental a ser apresentado no final do curso.

Forma de Avaliação:

Interesse e participação ativa nas discussões, reflexões e atividades práticas propostas pela disciplina.

Observação:

A disciplina deverá ter no máximo 15 vagas. Os alunos previamente inscritos deverão ser entrevistados pelo professor e só assim poderão cursar a disciplina. A secretaria poderá aceitar 25 inscrições para entrevistas. Não serão aceitos alunos especiais.

Bibliografia:

Básica: HOLLIS, Richard. Design Gráfico—Uma História concisa. Martins Fontes. São Paulo, SP, 2001. BRINGHURST, Robert. Elementos do Estilo Tipográfico.Cosac Naify. São Paulo, SP, 2005. HENDEL, Richard. O Design do Livro. Ateliê Editorial. São Paulo, SP, 2003. FELICI, James. The Complete Manual of Typography—A Guide to Setting Perfect Type. Adobe Press (Peachpit Press).Berkeley, CA, 2003. LUPTON, Ellen. Pensar com tipos. Cosac Naify. São Paulo, SP, 2006. TSCHICHOLD, Jan. A Forma do Livro—Ensaios sobre Tipografia e Estética do Livro. Ateliê Editorial. São Paulo, SP, 2007.
Estruturas Visuais Gráficas: SAMARA, Timothy. Making and Breaking the Grid. Rockport Publishers. Gloucester, MA, 2002. MÜLLER-BROCKMANN, Josef. Grid Systems in Graphic Design. Verlag Niggli. Zürich, 1981. BOSSHARD, Hans Rudolf. The Typographic Grid. Verlag Niggli. Zürich, 2000. KRÖPLIEN, Manfred. Karl Gerstner. Hatje Cantz. Germany, 2001. CROUWEL, Wim. Alphabets. BIS Publishers. Amsterdam, 2003. HOFMANN, Armin. Poster Collection. Lars Müller Publishers. Zürich, 2003. HOFMANN, Armin. Manual de Diseño Gráfico. G. Gilli. México, 1996. RUDER, Emil. Manual de Diseño Tipográfico. Barcelona, 1983. BILL, Max. Typography. Verlag Nigli. Zürich, 1999.
Design Experimental: HELLER, Steven and POMEROY, Karen. Design Literacy. Allworth Press. New York, 1997. GLASER, Milton. Art is Work. The Overlook Press. New York, 2000. GIL, Vicente. A Revolução dos Tipos. Tese de Doutorado FAUUSP. São Paulo, SP, 1999. WOZENCROFT, John. The Graphic Language of Neville Brody. Thames and Hudson. London, UK, 1994. BLACKWELL, Lewis and CARSON, David. The End of Print. Chronicle Books. San Francisco, 1995. NUNOO-QUARCOO, Franc. Paul Rand: Modernist Design. University of Maryland. New York, 2003. MÜLLER-BROCKMANN, Josef. Historia de La Comunicación Visual. G. Gilli. Barcelona, 2001. KLANTEM, Robert. Neasden Control Centre. Die Gestalten Verlag. Berlim, 2003. SAKAMOTO, Tomoko and PRAT, Ramon. Japan Graphics. Actar. Barcelona, 2002. KLANTEN, Robert; BOURQUIN, Nicolas e GEIGER, Thorsten. TresLogos. Die Gestalten Verlag, Berlin, DE, 2006. GERBER, Anna. All Messed Up—Umpredictable Graphics. Laurence King Publishing Ltd. London, 2004. MCQUISTON, Liz. Graphic Agitation—Social and Political Graphics in the Digital Age. Phaidon Press Inc. New York, NY, 1993. MCQUISTON, Liz. Graphic Agitation 2—Social and Political Graphics in the Digital Age. Phaidon Press Inc. New York, NY, 2004. LASN, Kalle. Design Anarchy. Adbusters Media Foundation. Vancouver, CA, 2006.

Código
Créditos
Área de Concentração