Intervenções no Espaço Informal das Cidades Brasileiras Contemporâneas

Objetivos:

A disciplina tem como objetivo entender as dinâmicas dos espaços informais (favelas e loteamentos irregulares em especial) das cidades brasileiras tanto do ponto de vista de sua formação histórica quanto da realidade atual desses espaços, com enfoque especial para as políticas públicas e os projetos de intervenção recentes.

Justificativa:

O acesso à moradia para a população de baixa renda no Brasil tem se dado historicamente através de formas precárias e/ou informais, em especial favelas e loteamentos periféricos irregulares. A partir dos anos 1970, o crescimento da população favelada tem superado o crescimento populacional urbano. De acordo com o Censo de 2010, a população favelada representa 6% da população nacional. Porém em Salvador, por exemplo, a população favelada representa mais de um terço da população municipais, chegando a 54% em Belém. Por outro lado, desde o início dos anos 2000, importantes políticas federais de financiamento à urbanização de assentamentos precários colocaram o tema em definitivo na agenda das políticas públicas. A disseminação de políticas públicas com recursos específicos para a intervenção nas áreas de habitação precária tornou muito importante a reflexão acerca dos procedimentos técnicos que orientem tais programas de urbanização uma vez que essas são experiências relativamente pouco sistematizadas. Nesse sentido é importante realizar um estudo atualizado sobre os espaços informais brasileiros, tanto no que diz respeito à suas características físicas e sócio-demográficas quanto ao impacto dos atuais projetos de intervenção.

Conteúdo:

A disciplina será estruturada a partir de quatro eixos de análise principais: 1 – compreensão da precariedade habitacional no Brasil e estudo das primeiras experiências de intervenção, com destaque às experiências exitosas dos anos 1980; 2 – análises quantitativas para caracterização da população favelada tanto do ponto de vista demográfico quanto da condição de moradia; 3 – políticas públicas – análise crítica dos planos, programas e projetos atuais de intervenção em favelas e loteamentos irregulares; 4 – projetos de intervenção – discussão dos projetos de intervenção recentes a partir de políticas públicas e financiamentos federais, estaduais e municipais.

Forma de Avaliação:

A avaliação será feita a partir da participação nos seminários teóricos, nos seminários de pesquisa, nas palestras, visitas de campo e trabalho final.

Observação:

A disciplina será composta por aulas expositivas, palestras, seminários teóricos, seminários de projeto de pesquisa e duas visitas de campo.

Bibliografia:

ABRAMO, P. (Org.). Favela e Mercado Informal: a nova porta de entrada dos pobres nas cidades brasileiras. Porto Alegre: FINEP, 2009.
ABREU, M. Reconstruindo uma história esquecida; origem e expansão inicial das favelas do Rio. Espaço e Debates, São Paulo, v14nº 37, p. 34-46, 1994.
ARRETCHE, M. Intervenção do Estado e Setor Privado: o modelo brasileiro de política habitacional. In Espaço e Debates, nº 31. São Paulo: Núcleo de Estudos Regionais e Urbanos, 1990.
BALTRUSIS, N. O mercado imobiliário informal em favelas e o processo de estruturação das cidades. Tese de Doutorado. São Paulo: FAUUSP, 2005.
BONDUKI, N. Política habitacional e inclusão social no Brasil: revisão histórica e novas perspectivas no governo Lula. Revista eletrônica de Arquitetura e Urbanismo, São Paulo, n. 1, p. 70–104, 2008. Disponível em . Acesso em Jan. 2011.
BONDUKI, N. Origens da habitação social no Brasil. São Paulo: Estação Liberdade, 2004.
BONDUKI, N. Habitat: práticas bem-sucedidas em habitação, meio ambiente e gestão urbana nas cidades brasileiras. São Paulo: Studio Nobel, 1996.
BRASIL. Urbanização de favelas: a experiência do PAC. Brasília: Ministério das Cidades – SNH, 2010.
BRASIL, Ministério das Cidades. Regularização Fundiária Urbana: como aplicar a Lei Federal n°11.977/2009. Brasília: Ministério das Cidades, 2010. Disponível em: www.cidades.gov.br/images/stories/ArquivosSNPU/Biblioteca/Biblioteca/cartilha_REG.pdf , acesso em: 20 fev. 2012.
BUENO, L. M. M. Projeto e Favela: metodologia para projetos de urbanização. Tese de Doutorado. São Paulo: FAUUSP, 2000.
CARDOSO, A.L. Urbanização de favelas no Brasil: revendo a experiência e pensando desafios. XII Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós graduação e Pesquisa em Planejamento urbano e Regional. Belém: ANPUR, 2007.
CASTILHO, J. V. de. A favelização do espaço urbano em São Paulo. Estudo de caso: Heliópolis e Paraisópolis. Dissertação de Mestrado. São Paulo: FAUUSP, 2013.
DENALDI, R. Políticas de Urbanização de Favelas: evolução e impasses. Tese de Doutorado. São Paulo: FAUUSP, 2003.
D’OTTAVIANO, M. C. L. e QUAGLIA-SILVA, S. L. Regularização fundiária no Brasil. Possibilidades abertas pelo Estatuto da Cidade. O caso Jaguary. Anais do XIII Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional. Florianópolis: ANPUR, 2009.
D’OTTAVIANO, C. e QUAGLIA-SILVA, S.L. Regularização fundiária no Brasil: velhas e novas questões. Revista PPP – Planejamento e Políticas Públicas, nº 32, jan/jun 2009, pp. 201-229.
FERREIRA, J. S. W. e LEITÃO, K. O.. Aspectos físicos, urbanísticos e arquitetônicos de programas de urbanização de favelas. In: Magalhães, F. e Villarosa, F. (org.). Urbanização de favelas: lições aprendidas no Brasil. Brasília: BID – Banco Interamericano para o Desenvolvimento – Alianças das Cidades – Caixa Econômica Federal, 2012.
GORDILHO-SOUZA, A., TEIXEIRA, A. e ESPIRITO SANTO, T. O desafio da regulamentação de ZEIS – ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL XII Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional. Belém: ANPUR, 2007.
IBAM – Instituto Brasileiro de Administração Municipal. Estudo de avaliação da experiência brasileira sobre urbanização de favelas e regularização fundiária. Rio de Janeiro: Cities Alliance, Banco Mundial, 2002.
IPEA. Habitação. IPEA. Políticas sociais – acompanhamento e análise n° 14 2007. Boletins – IPEA, 2007. Available at: www.ipea.gov.br
LABHAB – Laboratório de Habitação e Assentamentos Humanos. Parâmetros para urbanização de favelas. São Paulo: LABHAB-FAUUSP/FINEP/CEF (Relatório de Pesquisa), 2000.
MAUTNER, Y. M. M. A periferia como fronteira da expansão do capital. In: DEAK, C, SCHIFFER, S. (orgs.). O processo de urbanização no Brasil. São Paulo: Edusp/Fupam, 1999.
MINISTÉRIO DAS CIDADES. Política Nacional de Habitação. Cadernos MCidades nº 4. Brasília: MCidades, 2006.
MINISTÉRIO DAS CIDADES. Política habitacional e a integração urbana de assentamentos precários: parâmetros conceituais, técnicos e metodológicos. Brasília, 2007.
MARICATO, E. Brasil, cidades, alternativas para a crise urbana. Petrópolis: Vozes, 2001.
MARICATO, E. Metrópole, legislação e desigualdade. In Revista Estudos Avançados 17 (48), São Paulo, USP, 2003.
MARICATO, E. Metrópole na periferia do capitalismo: ilegalidade, desigualdade e violência. São Paulo: Hucitec, 1996.
MARICATO, E. O impasse da política urbana no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2011.
MARQUES, E. Assentamentos Precários no Brasil Urbano. Brasília: Ministério das Cidades, 2008.
PASTERNAK TASCHNER, S. Favelas e cortiços no Brasil: 20 anos de pesquisa e política. Cadernos de Pesquisa do LAP 18. São Paulo, FAU-USP, 1997.
PASTERNAK, S. São Paulo e suas favelas. Revista Pós, FAUUSP, 2006.
PASTERNAK, S. Desenhando os espaços da pobreza Cadernos LAP nº 39, São Paulo, FAUUSP, 2004.
PASTERNAK, S. e D’OTTAVIANO, C. Favelas: Intervention Policies and Practices Regarding Precarious Dwellings in Brazil. In ALDRICH, B.C. e SANDHU, R.S. (orgs). Housing for low income households in the urbanizing world: retrospect and prospect. Londres: Sage, no prelo.
QUEIROZ RIBEIRO, L C (org) O futuro das metrópoles. Desigualdade e governabilidade. Rio de Janeiro, Revan/FASE, p. 351-374.
SAMORA, Patrícia Rodrigues. Projeto de Habitação em Favelas: Especificidades e parâmetros de qualidade. Tese de doutorado. São Paulo: FAUUSP, 2009
SÃO PAULO, Município. Secretaria da Habitação e do Desenvolvimento Urbano – Urbanização de Favelas em São Paulo: uma experiência de recuperação ambiental. São Paulo, Prefeitura Municipal de São Paulo, 1992.
SÃO PAULO, Município. Urbanização de favelas. A experiência de São Paulo. São Paulo, Boldarini Arquitetura e Urbanismo, 2008.
SÃO PAULO, Prefeitura Municipal de São Paulo. Plano Municipal da Habitação PMH 2009-2024. São Paulo: PMSP-SEHAB, 2010.
SOTO, H. de. The other path. New York: Perennial Library, 1990.
VILLAÇA, F. Reflexões sobre as cidades brasileiras. São Paulo: Studio Nobel, 2012.
ZALUAR, A. E. ALVITO, M. (org). Um século de favela. Rio de Janeiro: FGV, 1998.
ZUQUIM, M. de L . Urbanização de assentamentos precários em São Paulo: o discurso da política e a prática da intervenção. In: II Seminario Internacional Procesos Urbanos Informales. Mejoramiento Barrial como Respuesta a una Ciudad para todos, Bogotá: Universidad Nacional de Colômbia, 2012.
ZUQUIM, M. de L. Urbanização de assentamentos precários no município de São Paulo: quem ganha e quem perde? II Encontro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo. Natal: UDUFRN, 2012. v. 1.
ZUQUIM, M. L., CAPELO, A. Avanços e retrocessos de modelos de intervenção urbanística em assentamentos precários: a experiência de Cubatão, SP. SEMINAIRE INTERNATIONAL: METROPOLES, INEGALITES ET PLANIFICATION DEMOCRATIQUE, 2010. Rio de Janeiro: Ippur, 2010.

Código
Créditos
Área de Concentração