Modos de Produção do Espaço na Arte Contemporânea

Objetivos:

Apresentar e discutir os aspectos fundamentais da escultura moderna. Apresentar e analisar a passagem da escultura moderna para a contemporânea, a constituição de outros pensamentos acerca da produção do espaço. Rastrear e estabelecer pontos de contato entre a arquitetura e a produção tridimensional contemporâneas.

Justificativa:

A diversidade da produção tridimensional contemporânea e o intercâmbio cada vez mais intenso que ela vem mantendo com a arquitetura, mais não fosse artistas e arquitetos tratam igualmente da produção do espaço, fica patente em artistas que produzem obras de escala arquitetônica e em arquitetos que assumem procedimentos próximos a artistas. O que dizer acerca de algumas peças de Anish Kapoor, como o Cloud Gate, de Chicago, ou as intervenções urbanas de Olafur Eliasson? Por outro lado, como classificar o processo de Frank Gehry tirando partido de uma bola de papel amassada ou certas soluções encontradas por Herzog& De Meuron? Para um levantamento consequente do estado do problema, o curso começa repassando sumariamente algumas das obras basilares da escultura moderna. Partindo de Rodin e passando por Brancusi, a discussão avançará até obras que não se encaixam na definição de escultura, como acontece com aquelas de materialidade diametralmente oposta como, por exemplo, o aço cor-ten, empregado por Richard Serra, e a luz, matéria prima de James Turrel, ou os penetráveis de Helio Oiticica, que inventavam arquitetura dentro de uma arquitetura dada. Instalações, site-specifics, obras que discutem a arquitetura, a cidade, a paisagem, natural e artificial, estão na ordem do dia e repercutem profundamente nos estudiosos sobre o assunto, notadamente sobre os arquitetos, igualmente interessados em pensar o espaço. A proposição desta disciplina pretende contribuir para o processo de restabelecimento de um diálogo que no Brasil acontece de modo insuficiente, não obstante sua fertilidade e suas raízes profundamente fincadas nas vanguardas modernas. Afinal, a relação entre Vladimir Tatlin e os arquitetos do construtivismo soviético, a produção plástica e arquitetônica dos Neoplásticos, a defesa de Le Corbusier acerca da síntese das artes, bem como a correspondência entre a interpenetração dos espaços em Mies Van der Rohe e as esculturas realizadas em plexiglas, espelhos e luzes de Laszló Moholy-Nagy, não são meros epifenômenos. Pois outras interseções ocorreram e vêm ocorrendo, numa fecundação mútua que cumpre ser melhor examinada.

Conteúdo:

aula 1 Apresentação do curso. Temas de seminários. aula 2 A noção de escultura vista transversalmente. – Do monumento posto em crise ao monumento negativo 1 aula 3 A noção de escultura vista transversalmente. Do monumento posto em crise ao monumento negativo2 aula 4 Arte como apropriação. Marcel Duchamp – O ready-made e a entrada em cena do objeto. “O grande vidro” e a incorporação do ambiente. aula 5 Arte como construção – Vladimir Tatlin. A identidade entre arte e vida – Theo Van Doesburg Seminário 1 – Escultura moderna aula 6 Os limites da escultura. Instalação e outras experiências no âmbito da tridimensionalidade. aula 7 O impacto da imagética e da materialidade Pop. A exposição This is tomorrow e a obra de Claes Oldenburg. Os casos Archigram e Superstudio como ressonâncias entre arte e arquitetura aula 8 A relação entre o corpo do espectador, a obra de arte e a arquitetura. Seminário 2 – Rompendo com os limites da escultura aula 9 O Neoconcretismo e as implicações espaciais das obras de Helio Oiticica e Lygia Clark, seguido de sua correspondência com os Minimalistas. Do “Não-objeto” ao “Objeto específico” aula 10 Robert Morris e a expansão da escultura. Robert Smithson – Matéria, espaço e entropia. aula 11 Os “Povera” – As implicações da matéria. Gordon Matta-Clark – a estrutura da arquitetura e estrutura da linguagem Seminário 3 – Negação e persistência da escultura aula 12 Três modos de produção do espaço: Richard Serra / Waltercio Caldas / James Turrel Conversa com artista aula 13 “Land Art” e a especulação sobre a paisagem. aula 14 Arquitetura e cidade: topos privilegiados da relação com a arte. Constant, Jean Nouvell Seminário 4 – Arquitetura + Arte aula 15 Conclusão do curso.

Forma de Avaliação:

Apresentação de um seminário com tema pré-determinado. (trabalho em equipe) Trabalho individual estabelecendo relação com as pesquisas dos pós-graduandos.

Observação:

Bibliografia:

Textos de apoio para os seminários

Seminário 1 – Escultura moderna
U. Boccioni – Manifesto técnico da escultura futurista [1912], in: H. Chipp – Teorias da arte moderna. São Paulo:Martins Fontes, 1988, pp. 302/308.
N. Gabo – Escultura: a talha e a construção no espaço [1937], in: H. Chipp, op. cit., pp. 333/341.
N. Gabo; N. Pevsner – Manifesto realista [1920], in: H. Chipp, op. cit., pp. 329/333.
K. Malevich – Suprematismo [1926], in: H. Chipp, op. cit., pp. 345/351.
L. Moholy-Nagy – The New Bauhaus and space relationship [1937], in: J. Wood, D. Hulks, A. Potts – Modern sculpture reader. Leeds:Henry Moore Institute, 2007, pp. 159/164.
T. Van Doesburg – Arte concreta [1930], in: A. Amaral – Projeto construtivo brasileiro na arte (catálogo de exposição). RJ SP:MAMRJ Pinacoteca do Estado, 1977, pp. 42/44.

Seminário 2 – Rompendo com os limites da escultura
L. Clark – Carta a Mondrian [1959], in: G. Ferreira e C. Cotrim – Escritos de artistas – Anos 60/70. Rio de Janeiro:Jorge Zahar, 2006, pp.46/49.
C. Greenberg – A nova escultura [1949], in: G. Ferreira e C. Cotrim – Clement Greenberg e o debate crítico. Rio de Janeiro:Zahar, 1997, pp. 67/74.
F. Gullar – Manifesto Neoconcreto [1959] e Teoria do não objeto [1960], in: A. Amaral, op. cit. Pp. 80/94.
D. Judd – Objetos específicos [1965], in: G. Ferreira e C. Cotrim – idem, pp. 96/106.
A. Kaprow – O legado de Jackson Pollock [1958], in: G. Ferreira e C. Cotrim – idem, pp 37/45.
C. Oldenburg – Sou a favor de uma arte [1961], in: G. Ferreira e C. Cotrim – idem, pp. 67/71.
J. Johns – Reflexões sobre Duchamp [1969], in: G. Ferreira e C. Cotrim – idem, pp. 208 e 209.

Seminário 3 – A negação e a persistência da escultura
A. Barrio – Manifesto [1970], in: G. Ferreira e C. Cotrim, Escritos de artistas – Anos 60/70. Rio de Janeiro:Jorge Zahar, 2006, pp. 262 e 263.
R. Krauss – Sculpture in the expanded field, in: The originality of the avant-garde and other modernist myths. Cambridge and London:MIT Press, 1978, pp. 277/290.
C. Meireles – Inserções em circuitos ideológicos [1970], in: G. Ferreira e C. Cotrim, Escritos de artistas – Anos 60/70. Rio de Janeiro:Jorge Zahar, 2006, pp.
R. Morris – O tempo presente do espaço [1978], in: G. Ferreira e C. Cotrim, Escritos de artistas – Anos 60/70. Rio de Janeiro:Jorge Zahar, 2006, pp.401/420.
R. Serra – Weight [1988], in: R. Serra – Writings and interviews. Chicago:The University of Chicago Press, 1994, pp.183/184.
R. Smithson – A tour of monuments of Passaic, New Jersey [1967] e A sedimentation of the mind: Earth Projects, in: R. Smithson – The writings of Robert Smithson. New York:New York University Press, 1979, pp. 52/57 e 82/91.

Seminário 4 – Arte + Arquitetura
G. Brett – Between work and world: Gabriel Orozco [1998], in: J. Wood, D. Hulks, A. Potts – Modern sculpture reader. Leeds:Henry Moore Institute, 2007, pp. 485/491.
D. Graham – A arte em relação à arquitetura [1979], in: G. Ferreira e C. Cotrim – Escritos de artistas – Anos 60/70. Rio de Janeiro:Jorge Zahar, 2006, pp. 429/451.
W. Grasskamp – from Art and the city [1997], in: J. Wood et alii, op. cit, pp. 477/484.
H. Lefebvre – from The urban revolution [1970], in: J. Wood, D. Hulks, A. Potts – Modern sculpture reader. Leeds:Henry Moore Institute, 2007, pp. 297 e 298.
R. Serra – Interview by Peter Eisenmann [1983], in: R. Serra – Writings and interviews. Chicago:The University of Chicago Press, 1994, pp. 141/156.
R. Whiteread; A. Rose – Interview [1997], in: J. Wood et alii. – op. cit., pp. 449/462.

1. LIVROS
ARGAN, Giulio C. Arte Moderna. São Paulo: Cia das Letras, 1992.
BATTCOCK, Gregory (ed.). Minimal Art: A Critical Anthology. New York, E. P. Dutton, 1968.
BOIS, Yves Alain. Formless. New York: Zone Books, 1997.
BORDEN, Iain; McCREERY, Sand (orgs). New Babylonians. West Sussex: Wiley- Academy, 2001.
BRITO, Ronaldo. Neoconcretismo: vértice e ruptura do projeto construtivo brasileiro. São Paulo, Cosac & Naify, 1999.
BURGER, Peter. Teoria de la Vanguarda. Madrid, Península, 1987.
CABANNE, Pierre. Marcel Duchamp: Engenheiro do Tempo Perdido. São Paulo, Ed. Perspectiva, 1987.
CELANT, Germano. Arte Povera. Milano: Mazzotta, 1969.
CHIPP, Herschel – Teorias da arte moderna. São Paulo:Martins Fontes, 1988.
COLPIT, Frances. Minimal Art – The Critical Perspective. Seattle: University of Washington Press, 1990.
COOK, Peter. Archigram. Nova York: Princeton Architectural Press, 1999.
DEBORD, Guy. A Sociedade do Espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.
DE MICHELE, Mário. As Vanguardas Artísticas. São Paulo: Martins Fontes, 1987.
DE OLIVEIRA, Nicolas. Installation Art. Washington: Smithsonian Institution Press, 1999.
DUARTE, Paulo Sérgio. Anos 60. Rio de Janeiro, Campos Gerais, 1998.
FARIAS, Agnaldo. Esculpindo o Espaço. São Paulo: FAUUSP, 1997 (Tese de Doutorado)
FERREIRA, Glória/ COTRIN, Cecília (org.). Escritos de Artistas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2007.
__________. Clement Greenberg e o debate crítico. Rio de Janeiro, Funarte / Jorge Zahar Editor, 1997.
FOSTER, Hal. The Art-Architecture Complex. London/New York: Verso, 2011.
FRAMPTON, Kenneth. História Crítica da Arquitetura Moderna. São Paulo: Martins Fontes, 1997.
FRIED, Michael. Arte e Objetidade, in Revista e Ensaios ano 9, número 9, 2002.
GARRAUD, Colette. L´idée de nature dans l´art conttemporain. Paris: Flammarion, 1993.
GALOFARO, Luca. Artscapes. El arte como aproximación al paisaje contemporáneo. Barcelona: Gustavo Gili, 2003. Coleção: Land and Scape
HARRISON, Charles/WOOD, Paul. Art in Theory – 1900/1990. Oxford, Blackwell, 1993.
HOLT, Nancy (org.). The Writings of Robert Smithson. New York: New York University Press, 1979.
KABAKOV, Ilya. Public Projects or The Spirit of a Place. Milano: Charta, 2000.
KASTNER, Jeffrey (ed). Land and environmental art. Londres: Phaidon Press, 1998.
KAYE, Nick. Site-specific Art. Routledge: London, 2000.
KRAUSS, Rosalind. Mudanças na Escultura Moderna. São Paulo, Martins Fontes 1998.
_________________ The originality of the avant-garde and other modernist myths. Cambridge and London:MIT Press, 1978, pp. 277/290.
KWON, Miwon. One Place After Another. Cambridge: IMT Press, 2002.
LEE, Pamela. Object to be Destroyed – The work of Gordon Mata-Clark. Cambridge: IMT Press, 2001.
LIPPARD, Lucy R. A Arte Pop. São Paulo: Editora Verbo, 1976.
McEVILLEY, Thomas. Sculpture in the Age of Doubt. New York: Allworth, 1999.
MORRIS, Robert. Continous Project Altered Daily. Cambridge: IMT Press, 1995.
OBRIST, Hans Ulrich (org). Interviews. vol. 1”. Milão: Charta, 2003.
PINCUS-WITTEN, Robert. Postminimalism. New York: Out of London Press, 1977.
RATCLIFF, Carter. Out of the Box. New York: Allworth Press, 2000.
RENDELL, Jane. Art and Architecture – A place in between. London/New York: I.B.Taurus,2006.
SADLER, Simon. The Situationist City. Massachusetts: MIT Press, 1998.
__________. Archigram: Architecture Without Architecture. Massachusetts: MIT Press, 2005.
SCOTT, Felicity. Architecture or Techno-utopia – Politics after Modernism. Massachusetts: MIT Press, 2007.
SERRA, Richard. Writings / Interviews. Chicago: University of Chicago Press, 1994.
SHAPIRO, Gary. Earthwards – Robert Smithson and Art after Babel. Berkeley: University of California Press, 1995.
SMITHSON, R. – The writings of Robert Smithson. New York:New York University Press, 1979.
STILES, Kristine/SELZ, Peter. Theories and Documents of Contemporary Art: A Soucerbook of Artists’ Writings. Berkeley and Los Angeles, University of California Press, 1996.
SUDERBURG, Erika (org.). Space, Site, Intervention – Situating Installation Art. Minneapolis: University of Minnesota, 2000.
VIDLER, Anthony. The Architectural Uncanny. Massachusetts: MIT Press, 1992.
_____ Warped Space. Massachusetts: MIT Press, 2001
WIGLEY, Mark. Constant’s New Babylon. Rotterdam: Witte de With, 1998.
WOOD, J.; HULKS, D.; POTTS, A. – Modern sculpture reader. Leeds:Henry Moore Institute, 2007.

2.CATÁLOGOS DE EXPOSIÇÃO

AMARAL, Aracy – Projeto construtivo brasileiro na arte. RJ SP:MAMRJ Pinacoteca do Estado, 1977.
BRETT, Guy; DAVID, Catherine; DERCON, Chris, FIGUEIREDO, Luciano; PAPE, Lygia. Helio Oiticica. Rotterdam: Witte de With, Center for the Contemporary Art. 1992.
CANONGIA, Ligia. Waltercio Caldas – 1985/2000. Rio de Janeiro: Centro Cultural do Banco do Brasil, 2001.
CAMERON, Dan and MOSQUERA, Gerardo. Cildo Meireles. New York: New Museum of Contemporary Art, 1999.
CUEVAS, Tatiana e RANGEL, Gabriela. Desfazendo o Espaço – Gordon Matta-Clark. São Paulo: MAMSP, 2010.
DISERENS, Corinne – Gordon Mata-Clark. Valencia: Instituto Valenciano de Arte Moderno, 1992.
HALBREICH, Kathy and BENEZRA, Neal. Bruce Nauman. Minneapolis: Walker Art Center, 1994.
KRAUSS, Rosalind and KRENS, Thomas. Robert Morris – The Mind/Body Problem. New York: The Guggenheim Museum, 1994.
MOURE, Gloria. Gordon Matta-Clark. Madrid: Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía: Barcelona: Ediciones Polígrafa, 2006.
SALZSTEIN, Sônia. Carlos Fajardo. Recife: Museu de Arte Moderna Aluisio Magalhães, 2003.

Código
Créditos
Área de Concentração