Paisagem e Cotidiano Urbano

Objetivos:

• Explorar o(s) sentido(s) da paisagem em ambientes urbanos contemporâneos. • Subsidiar teoricamente projetos de pesquisa centrados nas experiências cotidianas de paisagens (comuns ou excepcionais) no espaço urbano.

Justificativa:

O interesse pela paisagem na cidade, que já se anunciava na Europa nos finais do século XVIII, alcançou relevância no decorrer do século XIX com a implantação de parques urbanos nos grandes centros industriais; ganhou novos contornos com o advento do movimento moderno; sofreu, solidariamente, as dificuldades desse movimento em responder aos desafios contemporâneos e está colocada na ordem do dia dos debates e proposições concernentes ao espaço urbano. Por mais corriqueira que tenha se tornado a presença de “representantes” da natureza na cidade – sejam eles do reino animal, vegetal ou mineral –, a paisagem, isto é, a natureza esteticamente contemplada, não deixa de provocar, com sua alteridade, um estranhamento que lança questões ao cotidiano. A disciplina AUP 5834, que foi ministrada regularmente de 2003 a 2012, sob o nome “A paisagem no desenho do cotidiano urbano”, vincula-se à linha de pesquisa Paisagem e Sociedade da Área de Concentração Paisagem e Ambiente e sempre contou com um número expressivo de alunos, tanto regularmente matriculados quanto especiais, o que também justifica a continuidade do seu oferecimento.

Conteúdo:

A disciplina tratará de questões contemporâneas sobre a paisagem no cotidiano urbano. Para tanto, enfocará a evolução histórica destas questões, o que impõe um recuo às últimas décadas do século XVIII – quando elas começaram a aflorar nas grandes cidades europeias, com reflexos, ainda que bastante atenuados, nas cidades brasileiras – antes de atingir o momento atual. Neste percurso serão enfatizados os seguintes conteúdos: • Noções gerais sobre paisagem e cotidiano urbano • Temporalidade da natureza e temporaneidade da cidade: a dimensão simbólica da paisagem • Panorama histórico sobre a introdução do “verde” no espaço urbano • Noções sobre experiência, percepção e apropriação da paisagem no espaço urbano • As políticas do “verde” e a dimensão política da paisagem • Projetos paisagísticos em espaços públicos urbanos

Forma de Avaliação:

Observação:

Os alunos serão avaliados individualmente, pelo seu desempenho em atividades programadas (seminários) e com base em monografia relativa aos conteúdos ministrados. A disciplina tem sido ministrada com o nome “A paisagem no desenho do cotidiano urbano”. Para evitar os mal entendidos que poderiam advir da expressão “desenho do cotidiano”, já que o cotidiano não é passível de ser desenhado, optou-se por “paisagem e cotidiano urbano”, considerado mais adequado aos conteúdos da disciplina.

Bibliografia:

ASSUNTO, Rosario – Il paesaggio e l’estetica. Palermo, Novecento, 2005.
BARZILAY, Marianne et al. – L’invention du parc. Paris, Graphite Éditions, 1984.
BESSE, Jean-Marc – Le goût du monde. Arles, Actes Sud / ENSP, 2009.
CERTEAU, Michel de – A invenção do cotidiano. São Paulo, Vozes, 1994.
CHADWICK, George F. – The Park and the Town. London, The Architectural Press, 1966.
CRANZ, Gallen – The Politics of Park Design – A History of Urban Parks in América. Cambridge, Massachusetts, The MIT Press, 1982.
DAL CO, Francesco – “De los parques a la región, ideología progresista y la reforma de la ciudad americana”, in La Ciudad Americana, de la guerra civil al New Deal. Barcelona, Gustavo Gili, 1975.
D’ANGELO, Paolo – Estetica e Paesaggio. Bologna, Il Mulino, 2009.
DOURADO, Guilherme Mazza – Belle époque dos jardins. São Paulo, Editora Senac, 2011.
FORESTIER, Jean Claude Nicolas – Grandes villes et systèmes de parcs, Norma Éditions, Paris, 1997.
HAYDEN, Dolores – The power of place. Urban landscapes as public history. The MIT Press, 1997.
HELLER, Agnes – O Cotidiano e a História. Paz e Terra, São Paulo, 1992, 4a edição.
JACKSON, John B. – Discovering the vernacular landscape. Yale University, 1994.
LANGLOIS, Gilles-Antoine – Folies, Tivolis et Attractions. Paris, Imprimerie Allençonnaise, 1991.
LASSUS, Bernard – The landscape approach. Philadelphia, University of Pennsylvania Press, 1998.
LASSUS, Bernard – Couleur, lumière… paysage. Instants d’une pédagogie. Paris, Monum, Éditions du Patromoine, 2004.
LE DANTEC, Jean-Pierre – Jardins et paisajes. Textes critiques de l’antiquité à nos jours. Paris, Larousse, 1996.
MARTINS, José de Souza – “A peleja da vida cotidiana”, in Desfigurações – A vida cotidiana no imaginário onírico da metrópole. São Paulo, Hucitec, 1996.
NETTO, José Paulo e CARVALHO, Maria do Carmo Brandt de – Cotidiano – conhecimento e crítica. São Paulo, Cortez Editora, 2010.
PANZINI, Franco – Per I piaceri del popolo. Bologna, Zanichelli, 1993.
PANZINI, Franco – Projetar a natureza. Arquitetura da paisagem e dos jardins desde as origens até a época contemporânea. São Paulo, Editora Senac, 2013.
SEGAWA, Hugo – Ao amor do público. Jardins no Brasil. São Paulo, Studio Nobel, 1996.