Pedagogia Aplicada à Arquitetura e ao Urbanismo

Objetivos:

A disciplina objetiva promover a discussão sobre o ensino de arquitetura e Urbanismo nos cursos de graduação abordando métodos e procedimentos bem como permitir o entendimento da organização curricular necessária.

Justificativa:

Essa disciplina é obrigatória para bolsistas Capes e é exigida para a realização do estágio do PAE – Programa de Aperfeiçoamento de Ensino da USP. A disciplina era ministrada na forma de seminários apenas para atender o PAE, porém em 2006 foi elaborada a proposta atual ampliando a capacidade de discussão do ensino universitário. É ministrada por professores dos três departamentos do curso de Arquitetura e Urbanismo. O aluno de pós-graduação é um professor em potencial, mas grande parte do curso é voltada exclusivamente para sua formação como pesquisador. t Esta disciplina pretende estimular sua atenção para a atividade docente e decorrentes responsabilidades. Pará isso irá: • Estabelecer um processo de discussão sobre a prática da formação do arquiteto e urbanista. • Analisar as metodologias empregadas no campo do saber específico. • Evidenciar a responsabilidade formadora e não apenas profissionalizante do ensino no nível superior. • Apresentar instrumentação mínima para reflexão sobre o trabalho docente. A disciplina até 2006 teve uma carga horária muito reduzida e existe uma grande demanda. A busca por novos conhecimentos e oportunidades para realizar uma discussão sistemática sobre o assunto tem sido reivindicação presente em todos os cursos e avaliações realizadas, expressas pela solicitação de aumento da carga horária e ampliação do conteúdo. Em vista destes fatos, propõe-se um novo perfil para a disciplina.

Conteúdo:

· Evolução dos processos de formação em arquitetura e Urbanismo (A&U) no Brasil. Estruturas oficiais de regulamentação – LDB, currículo mínimas e diretrizes curriculares. · A pedagogia e a transmissão dos saberes específicos de A&U. · Organização dos sistemas de ensino em A&U. Formalização de conteúdos (currículo oficial e currículo oculto) · Processos de construção do conhecimento em A&U. Saberes da área-pedagógicos, didáticos e vivenciais como estrutura de suporte para a relação ensino/aprendizagem. · Plano e programa de ensino – procedimentos para sua formalização. · Estrutura curricular da FAUUSP – projeto pedagógico, formas de aplicação e organização padrão de grades horárias. Vantagens de um currículo expandido. · Relação entre pesquisa, ensino e extensão. Responsabilidade docente/pesquisador. · Estruturas curriculares em instituições públicas e privadas. · A inserção da História em um curso de A&U – procedimentos e conteúdos. · Relação entre teoria e prática como atividades complementares e simultâneas. O Canteiro Experimental da FAUUSP. · Fundamentos do ensino prático em A&U – Procedimentos e conteúdos das disciplinas de atelier.

Forma de Avaliação:

Os aspectos debatidos durante o curso constituirão exercícios que serão realizados por equipes formadas na classe. Os exercícios podem variar nas diferentes tur

Observação:

Não são aceitas matrículas em regime especial

Bibliografia:

1. ALVES, Rubem – “Entre a ciência e a sapiência – O dilema da Educação” – São Paulo – 2004.
2. ARGAN, Giulio Carlo. “Walter Gropius e Bauhaus”. Lisboa Ed. Presença, 1984.
3. BENÉVOLO, Leonardo. “O Contributo da história para o ensino do arquiteto”. In A cidade e o arquiteto. São Paulo, Martins Fontes, p. 123-137.
4. ELIAS, Marisa Del Cioppo – ” Célestin Freinet – Uma pedagogía de atividade e cooperação” . – Petrópolis – Editora Vozes – 2004
5. DE FUSCO. “História de la arquitectura contemporanea”. Madri : H Blume Ediciones, 1981.
6. FREINET, Célestin, – ” Pedgogia do Bom Senso” – São Paulo – Martins Fontes -2000
7. ———————- – ” A Educação do Trabalho” – São Paulo – Martins Fontes – 1998
8. FREIRE, Paulo – “Pedagogia da Autonomia – Saberes Necessários à Prática Educativa”.- São Paulo – Paz e Terra -1996
9. —————— “Educação como prática da liberdade” – São Paulo – Paz e Terra- 1980
10. GFAU – “Conversas com Sérgio Ferro” – São Paulo – GFAU – 2002.
11. HERTZBERGER, Herman. “Lições de Arquitetura”. São Paulo: Perspectiva, 1972
12. KOSTOF, Spiro, “A History of Architecture – settings and rituals”. New York, Oxford, 1995.
13. LARA, Fernando e MARQUES, Sonia (org). “Desafios e conquista da pesquisa e do ensino de projeto”. Rio de Janeiro: EVC Editora Virtual Científica, 2003.
14. NIETZSCHE, Friedrich – “Escritos sobre Educação” – (tradução e notas de Noéli Correia de Melo Sobrinho) – Rio de Janeiro – 2003.
15. PIMENTA, Selma Garrido – “Docência no ensino superior – Volume 1” – São Paulo – Cortez Editora – 2002.
16. RONCONI, Reginaldo Luiz Nunes – “Inserção do Canteiro Experimental nas Faculdades de Arquitetura e Urbanismo” – Tese de Doutoramento – FAUUSP – 2002.
17. ROTH, Leland M. “Entender la arquitectura: sus elementos, historia e significado”. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 2000.
18. SILVA, Jonathas M. P. “O papel da disciplina de paisagismo na formação do arquiteto” (Tese de Doutoramento) São Paulo: FAUUSP, 2005.
Leis, Decretos e Diretrizes.
1. CEAU – Comissão de Especialista de Ensino de Arquitetura e Urbanismo no Brasil – “Condições e Diretrizes” – Brasília – MEC – 1994.
2. Portaria Nº 1.770 – MEC, de 21 de Dezembro de 1994.
3. Lei no. 9.394, de 20 de novembro de 1996.
4. Decreto no. 2.207, de 15 de abril de 1997.
5. Proposta de Diretrizes Curriculares Nacionais Para o Ensino de Graduação em Arquitetura e Urbanismo (documento elaborado pela CEAU e enviado ao CNE a partir das contribuições da ABEA).