Representações: Imaginário e Tecnologia

Objetivos:

Fundamentar a revisão crítica do papel das representações no processo de conhecimento, nos processos de criação artística, projeto e pesquisa científica em arquitetura e urbanismo. Ampliar o entendimento das características tecnológicas das representações nos processos de produção de objetos, edificações e espaços urbanos. Aprofundar os estudos sobre as interações entre Imaginário e Tecnologia, Fantasia, Poética e Ciência. Promover reflexões sobre as interações das representações com o ensino, a pesquisa e a extensão na área de arquitetura e urbanismo. Amparar e estimular o desenvolvimento de novas indagações e investigações sobre o tema.

Justificativa:

A difusão de meios de representação eletrônica nos processos de produção de projetos de arquitetura e urbanismo no Brasil, nos anos 90, estimulou debates e reflexões acerca do papel histórico e das possibilidades futuras das representações nos esforços de conhecer, construir e transformar ambientes. As possibilidades de amplo acesso a bancos de informações, a intensificação dos intercâmbios, e a construção coletiva de conhecimentos por meio da Internet ampliaram a presença das representações eletrônicas no cotidiano, ao longo das últimas décadas. Neste contexto, o discurso apologético e substitutivo em prol da hegemonia das representações eletrônicas – característico do início dos anos 90 –, sofreu críticas e transformações significativas. Hoje os estudos sobre representações envolvem revisões epistemológicas quanto aos fundamentos dos processos cognitivos, quanto à importância das interações sensório-motoras com a realidade, assim como quanto às especificidades dos universos culturais, emocionais e volitivos no entendimento e transformação de realidades. Atualmente, as interações complementares, as hibridações e as cooperações entre meios físicos e eletrônicos estão no centro das atenções dos pesquisadores da área, e constituem um “campus experimental” a demandar estudos e pesquisas.

Conteúdo:

O conteúdo da disciplina será divido em 3 módulos com 5 aulas cada: • Módulo I Epistemologia e Fundamentos conceituais da representação. Características das representações no universo da arquitetura e urbanismo: naturezas, possibilidades, limitações e interações complementares entre o desenho, a modelagem tridimensional, a fotografia, o filme, o texto, as notações numéricas e os diagramas, tanto em bases físicas quanto digitais. Interações entre imaginário, tecnologia, metodologia e representações. • Módulo II Aspectos da história das representações dentro da história do projeto arquitetônico. Estudo do papel das representações no processo projetual antigo e medieval. Estudo do papel das representações no processo projetual moderno e contemporâneo. As relações entre os conceitos de espaço arquitetônico e as representações da arquitetura. • Módulo III Estudos de casos, descrição e análise crítica do papel das representações em processos projetuais.

Forma de Avaliação:

Seminários e trabalho final.

Observação:

Bibliografia:

ARISTÓTELES. Da Alma. Maria Cecília Gomes dos Reis (trad.). São Paulo: Editora 34, 2006.
ARTIGAS, João Batista Vilanova. O Desenho. In Caminhos da Arquitetura. São Paulo: Cosac & Naify, 2004.
BARTHES, Roland. A Câmara Clara, nota sobre a fotografia. Lisboa: Edições 70, 2006.
CAMPOS, Carlos. Antes de la Idea. Pasos hacia una metodología proyectual. Buenos Aires: Bisman
Ediciones, 2008.
CAMPOS BAEZA, Alberto. La idea construída. Madrid: Nobuko, 2006.
___________________ (org.). Aprendiendo a pensar. Buenos Aires: Nobuko, 2008.
CHING, Francis D.K. Representação gráfica para desenho e projeto. Barcelona: Gustavo Gili, 2001.
_______________. Arquitetura: forma, espaço e ordem. São Paulo: Martins Fontes, 2008.
COSTA, Helouise; SILVA, Renato Rodrigues da. A Fotografia Moderna no Brasil. São Paulo: Cosac & Naify,
2004.
DERDYK, Edith (Org.) Disegno. Desenho. Desígnio. São Paulo: Editora SENAC, 2007.
DURAND, Gilbert. A imaginação simbólica. Lisboa: Edições, 70, 2000.
FERRETTI, Silvia. Cassirer, Panofsky, and Warburg: symbol, art, and history, translated by Richard
Pierce. New Haven : Yale University Press, c1989.
FLORES, Cláudia. Olhar, saber, representar: sobre a representação em perspectiva. São Paulo: Musa
Editora, 2007.
FOCILLON, Henri. La vie des formes. Paris: Alcan, 1939.
FRANCASTEL, Pierre. Imagem, Visão e Imaginação. Lisboa: Martins Fontes, 1983.
GINZBURG, Carlo. Representação – A palavra, a idéia, a coisa. In: Olhos de madeira – Nove reflexões
sobre a distância. Eduardo Brandão (trad.) São Paulo: Companhia das Letras, 2001.
_____________. Mitos, Emblemas, Sinais – Morfologia e História. São Paulo: Cia. das Letras, 1989.
GOMBRICH, E.H. Meditações sobre um cavalinho de pau ou as raízes da Forma Artística. In:
Meditações sobre um cavalinho de pau e outros ensaios sobre a teoria da arte. Geraldo Gerson
de Souza (trad.) São Paulo: EDUSP, 1999.
JACOBY, Helmut. El Dibujo de los Arquitectos. Barcelona: GG, 1971.
LAPUERTA, José María de. El Croquis, proyecto y arquitectura (Scintilla Divinitatis). Madrid: Celeste
Ediciones, 1997.
MALRAUX, André. O Museu Imaginário. Lisboa: Edições 70, 2000.
MAUSS, Marcel. Ensaio sobre a Dádiva. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo: EPU, 1974.
MAZZEO, Cecilia; ROMANO, Ana María. La representación en la gestación y comunicación del proyecto. In:
La Enseñanza de las disciplinas proyectuales – hacia la construcción de una didáctica para la
enseñanza superior. Buenos Aires: Nobuko, 2007.
MICHAUD, Philippe-Alain. Aby Warburg and the image in motion. Sophie Hawkes (trad.). NY: Zone
Books, 2007.
MILLS, Criss B. Projetando com maquetes: um guia para a construção e o uso de maquetes como
ferramenta de projeto. Porto Alegre: Bookman, 2007.
MOLES, Abraham; ROHMER, Élisabeth. Espace et Liberté. In: Psychologie de L’Espace. Tournai :
Casterman, 1972.
MONEO, Rafael. Inquietação Teórica e Estratégia Projetual na obra de oito arquitetos
contemporâneos. São Paulo: Cosac & Naify, 2008.
NORBERG-SCHULZ, Christian. Existence, Space & Architecture. Londres: Studio Vista, 1971.
OITICICA, Hélio. Experimentar o Experimental (1972). In: BRAGA, Paula (Org.). Fios soltos: a arte de Hélio
Oiticica. São Paulo: Perspectiva, 2008.
PAREYSON, Luigi. Teoria da Formatividade. Petrópolis: Vozes, 1993.
PÉREZ-GOMES, Alberto; PELLETIER, Louise. Architectural representation and the perspective hinge.
Cambridge: MIT Press, 1997.
PIÑÓN, Helio. Teoria do projeto. Edson Mahfuz (trad.). Porto Alegre: Livraria do Arquiteto, 2006.
PLATÃO. Timeu. In: Diálogos. Belém: Editora da UFPA, 2001.
ROCHA, Paulo Mendes da. Maquetes de papel: Paulo Mendes da Rocha. São Paulo: Cosac & Naify, 2007.
RODRIGUES, Ana Leonor M. Madeira. O desenho. Ordem do pensamento arquitetônico. Lisboa: Editorial
Estampa, 2000.
ROZESTRATEN, Artur Simões. Representação do projeto de arquitetura: uma breve revisão crítica. Revista
PÓS, São Paulo, v.25, p.257-270, 2009.
_______________________. Apuntes acerca del papel de la representación en el proceso de proyecto de
arquitectura de Paulo Mendes da Rocha. Arquiteturarevista (UNISINOS), v. 05, p. 111-121, 2009.
______________________. Comentários sobre a modelagem tridimensional na arquitetura grega e romana
antigas: Heródoto, Aristóteles e Vitrúvio. Revista PÓS, São Paulo, v.22, p. 142-159, 2007.
______________________. A iconografia do portador do modelo de arquitetura na arte medieval.
Tese (doutorado), FAUUSP, São Paulo, 2007.
______________________. Estudo sobre a História dos modelos arquitetônicos na Antigüidade.
Dissertação (mestrado), FAUUSP, São Paulo, 2003.
SAINZ, Jorge. El dibujo de arquitectura: Teoría e historia de un lenguaje gráfico. Barcelona: Editorial
Reverté, 2005.
SANTOS, Milton. Espaço e método. São Paulo: Edusp, 2008.
____________. Técnica, espaço, tempo. São Paulo: Edusp, 2008.
SARQUIS, J. (Org.) Teoría de la Arquitectura y Teoría del Proyecto. Buenos Aires: Nobuko, 2007.
SARTRE, Jean Paul. O Imaginário: psicologia fenomenológica da imaginação. São Paulo: Editora
Ática, 1996
SONTAG, Susan. Against Interpretation and other essays. New York: Farrar, Strauss & Giroux, 1966.
____________. Sobre fotografia. Rubens Figueiredo (trad.). São Paulo: Companhia das Letras, 2004.
VALÉRY, Paul. Introduction à la méthode de Léonard de Vinci. Paris: Gallimard, 1957.
VARGAS, Milton. Para uma filosofia da tecnologia. São Paulo: Editora Alfa-Omega, 1994.
ZEVI, Bruno. Saber ver a arquitetura. São Paulo: Martins Fontes, 1992.
30-60 CUADERNO LATINOAMERICANO DE ARQUITECTURA. Procesos proyectuales. N. 12. Córdoba,
Argentina: i+p Editorial, Março 2007.

Código
Créditos
Área de Concentração