Teoria da Urbanização

Objetivos:

A disciplina se propõe realizar uma abordagem histórica sistemática das teorias da urbanização e do planejamento urbano subjacentes às práticas desenvolvidas no Brasil desde o início do século XX até o presente ; aborda também algumas experiências internacionais particularmente relevantes. Busca-se por esta via organizar referenciais teóricos e alternativas metodológicas que contribuam para a compreensão das especificidades da formação social e econômica brasileira e dêem suporte tanto à crítica quanto a práticas inovadoras de intervenção sobre o espaço urbano e metropolitano contemporâneo.

Justificativa:

A partir do início do século XX a urbanização brasileira fez-se acompanhar de intervenções estatais sobre o espaço urbano de diferentes modalidades. O País foi pródigo em planos e em instrumentos de planejamento ; não obstante sua variedade os processos de intervenção com freqüência tiveram subjacentes paradigmas e teorias sobre o urbano elaboradas a partir de realidades exógenas, em contextos sócio-econômicos e políticos específicos, os quais, em sua maioria, revelaram-se inadequados para o enfrentamento dos problemas físicos e especialmente sociais de nossas cidades. As mudanças tecnológicas das últimas décadas têm levado a grandes mudanças nos padrões de estruturação e organização do espaço urbano e metropolitano, para cujo enfrentamento é urgente a articulação da legislação, dos planos de escala metropolitana e dos projetos urbanísticos. Para a consecução dos objetivos aqui propostos , tanto o aproveitamento da experiência internacional quanto a elaboração de soluções particulares, exigem o conhecimento das teorias e também dos métodos e projetos dos períodos precedentes.

Conteúdo:

A disciplina explicita as relações existentes entre a teorização da urbanização, em suas várias vertentes, os projetos urbanísticos, as políticas de desenvolvimento, as práticas de planejamento e as formas de estruturação do espaço no Brasil contemporâneo. São analisados os paradigmas e pressupostos teóricos subjacentes à atividade de planejamento urbano desde o início do Século XX até o presente .À luz desta análise procede-se à reflexão sobre as questões emergentes e as situações empíricas do presente. Dentre estas enfatiza-se a presente etapa de reestruturação produtiva do capital e as modalidades de reestruturação e gestão do espaço que a acompanham em suas diferentes escalas.

Forma de Avaliação:

A avaliação será feita com base: 1. na participação em aulas e seminários; 2. em seminários e fichamentos individuais; 3. em ensaio monográfico individual a

Observação:

Bibliografia:

ARANTES, O.; VAINER, C. Maricato E. A cidade do pensamento único. Petrópolis: Ed. Vozes, 2000.
ARANTES, Otilia Beatriz Fiori. O lugar da arquitetura depois dos modernos. São Paulo: FAPESP/Edusp/Studio Nobel, 1993.
AVELAR, Lúcia; CINTRA, Antônio Octávio (orgs). Sistema político brasileiro:uma introdução. R. Janeiro, S. Paulo – Fundação K. Adenauer, Fundação Unesp Ed, 2004.
BOISER, Sergio (et.alii). La descentralización: el eslabon perdido de la cadena: transformación productiva con equidad y sustentabilidad. Santiago de Chile, ILPES, 1991.
BOISER, Sergio (et alii). Experiências de planificación regional en América Latina: uma teoria en busca de una práctica. Santiago de Chile, CEPAL/ILPES/SIAP, 1981.
BORJA, Jordi; CASTELLS, Manuel. Local y Global:La géstion de las ciudades en la era de la información. Madrid:Grupo Santillana de Ediciones, S.A., 1999.
CASTELLS, Manuel. A era da informação: economia,sociedade e cultura. São Paulo, Ed. Paz e Terra, 1999. (3 vols.)
________________. The informational city: Information technology, economic restructuring and the urban-regional process. Oxford: Blackwell, 1989.
CASTELLS, Manuel; BORJA, Jordi. “As cidades como atores políticos”. São Paulo, Novos Estudos CEBRAP, n.45, jul/1996, p.152-166.
CAMARGO,A. R. “O Estado e o Urbano no Brasil”, In: ILCSE/UNESP-NERU – Cidade e Estado. (Políticas Públicas no Desenvolvimento Urbano). S. Paulo, s.d.
CAMPOS, Candido Malta. Os rumos da cidade: urbanismo e modernização em São Paulo. São Paulo: Senac. 2000.
CERVELLATI, Píer Luigi. L´arte di Curare la Cittá. Bologna, Società Editrice il Mulino, 2000.
COUTROT, Thomas. ”Um balanço da teoria da dependência”. São Paulo: Novos Estudos CEBRAP, n.29, mar/1991.
CYMBALISTA, Renato. “Instrumentos de planejamento e gestão urbana: um bom momento para um balanço”. In: BUENO, Laura e CYMBALISTA, Renato (orgs). Planos diretores municipais: novos conceitos de planejamento territorial. São Paulo: Anna Blume/Instituto Pólis/PUCCAMP, 2007.
DAGNINO, Evelina (Org). Sociedade Civil e Espaços Públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2002
DAVIS, Mike. City fo Quartz. N. York, Vintage Books, 1990.
DIEGUES, Antonio Carlos Sant’Ana. O mito da natureza intocada. S. Paulo, Ed. Hucitec, 1996.
FAORO, Raymundo. Os Donos do Poder; Formação do Patronato Político Brasileiro. Porto Alegre, Ed. Globo; São Paulo, Editora da Universidade de São Paulo, 1975, 2 vols.
FELDMAN, Sarah. Planejamento e zoneamento. São Paulo, 1947-1972. São Paulo: Edusp/FAPESP, 2005.
FERNANDES, Florestan. Fundamentos empíricos da explicação sociológica. São Paulo: Cia. Ed. Nacional, 1959.
FRAMPTON, Keneth. Historia critica de la arquitectura moderna. Barcelona: Gustavo Gili, 1996.
FURTADO, C. A fantasia organizada. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1985.
____________. A fantasia desfeita. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1989.
GONÇALVES, M. F, BRANDÃO, C. A., GALVÃO, A. C. F. Regiões e cidades, cidades nas regiões: o desafio urbano/regional. São Paulo, Ed. UNESP, ANPUR, 2003.
GOTTDIENER, M. A Produção Social do Espaço Urbano. São Paulo, Edusp, 1993.
HABERMAS, J. “A nova intransparência”, In: São Paulo: Novos Estudos CEBRAP, n.18, set/1987, p.103-114.
____________. “Arquitetura moderna e pós-moderna”, In: São Paulo: Novos Estudos CEBRAP, n.18, set/1987, p.115-124.
HARVEY, David. A justiça social e a cidade. São Paulo: Hucitec, 1980.
_____________. The condition of postmodernity: an enquiry into the origins of cultural change. Cambridge: Blackwell, 1991.
_____________. The urban experience. Baltimore: The Johns Hopkins University Press, 1989.
_____________. “Do gerenciamento ao empresariamento: a transformação da administração urbana no capitalismo tardio”. In: São Paulo, Espaço & Debates, Ano XVI, 1996, n.39, p.48-64.
_____________. “El nuevo urbanismo y la trampa comunitária”. La Vanguardia, 26.nov.2002, p.34. Disponível em
IANNI, Octávio. Teorias da globalização. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996.
INDOVINA, F.; MATASSORNI, F.; SAVINO, M.; SERNINI, M.; TORRES, M.; Vettoretto. La città diffusa. Venezia, DAEST, 1990.
JAMESON, Fredric. “O pós-modernismo e a sociedade de consumo”. In: O mal-estar no pós-modernismo: teorias e práticas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1993, p.25-44.
_______________. Pós-modernismo. A lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Ed. Ática, 1997.
JUDD, Dennis R. E SIMPSON, Dick (eds). The city revisited: urban theory from Chicago, Los Angeles, New York. Minneapolis/London: University of Minnessota Press, 2011.
KURZ, Robert. O colapso da modernidade. Da derrocada do socialismo de caserna à crise da economia mundial. São Paulo: Paz e Terra, 1993.
KOSIK, K. Dialética do Concreto. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1986.
KOWARICK, Lucio e MARQUES, Eduardo C (orgs). São Paulo: novos percursos e atores. São Paulo: Editora 34/Centro de Estudos da Metrópole, 2011.
LAMPARELLI, C. M. “Políticas Públicas, Desenvolvimento Social e Poder Local”. In: Sinopses, n.10, S. Paulo, FAU/USP, 1987.
LLORENS, F. A. (et.alii)org. Revolución Tecnologica Y Reestructuracion Productiva:Impactos Y Desafios Territoriales. B. Aires, Grupo Editor Latinoamericano, 1990.
LEBORGNE, Danielle; LIPIETZ, Alain. “Flexibilidade defensiva ou flexibilidade ofensiva: os desafios das novas tecnologias e da competição mundial”. In: Reestruturação urbana tendências e desafios. São Paulo: Nobel, 1990, p.17-43.
LOJKINE, J. O Estado Capitalista e a Questão Urbana. S. Paulo, Martins Fontes, 1981.
MANNHEIM, Karl. Ideologia e utopia. Tradução de Sergio Magalhães Santeiro. Rio de Janeiro: Zahar, 1968.
______________. Homem e Sociedade. Rio de Janeiro, Zahar, 1967.
MARTINDALE, Don. “Prefactory remarks: The theory of the city”. In: WEBER, M. The city. Translated and edited by Don Martindale and Gertrude Neuwirth. Glencoe Ill, Free Press, [1958].
MARX, K.; ENGELS, F. L’Idéologie Allemande. Paris, Ed. Sociales, 1971.
MARX, K. El Capital. Mexico, Ed. Fondo de Cultura Ec., 1959.
MEYER, Regina M. Prosperi; GROSTEIN, Marta Dora; BIDERMAN, Ciro. São Paulo, Metrópole. São Paulo: EDUSP, Imprensa Oficial do Estado, 2004.
OFFE, Claus. Capitalismo desorganizado. Transformações contemporâneas do trabalho e da política. São Paulo: Brasiliense, 1989.
___________. Problemas Estruturais do Estado Capitalista. R. Janeiro, Tempo Brasileiro, 1984.
OLIVEIRA, F. de. Elegia Para Uma (Re)ligião. R. De Janeiro, Paz e Terra,1993.
PEREIRA, L. Ensaios de Sociologia do Desenvolvimento. S.Paulo: Livraria Pioneira Ed., 1970.
REIS FILHO, Nestor Goulart. Urbanização e teoria. Tese para provimento de Cátedra. São Paulo: FAU/USP, 1967.
_______________________. Notas sobre a organização das Regiões Metropolitanas. São Paulo. Cadernos de pesquisa do LAP, n.12, mar./abr. 1996.
_______________________. Notas sobre Urbanização Dispersa e novas formas de tecido urbano. São Paulo: Via das Artes, 2006.
REIS, N. G.; PORTAS, N.; TANAKA, Marta S. Dispersão Urbana: Diálogo sobre pesquisas Brasil-Europa. Anais do Seminário. São Paulo, LAP, 2006.
ROUANET, Sergio Paulo. As razões do iluminismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.
SANTOS, Milton. A natureza do espaço. Técnica, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1996.
SASSEN, Saskia. The global cituy: New York, London, Tokyo. Princeton: Princeton University Press, 2001.
SASSEN, Saskia. Localizando ciudades en circuitos globales. Eure (Snatiago), v.29, n88, dez 2003.
SCHERER, R. Descentralização e Planejamento Urbano no Município de São Paulo. S. Paulo, FAU/USP, 1987.
____________. Notas Sobre Teoria e Método. São Paulo, Cadernos do LAP, n.10, dez/1996.
____________. Sistematização Crítica do Conjunto dos Trabalhos.Contribuição para a abordagem interdisciplinar na área de urbanização e planejamento territorial e urbano. São Paulo, FAU/USP, 1994.
____________. “História , Teoria e Método nos Estudos de Urbanização”, In: Seminário Nacional – O Estudo da História na Formação do Arquiteto.São Paulo, Revista Pós, Ed. Especial. FAU/USP, 1995.
SILVA, Ricardo T. “A oferta de infra-estrutura e serviços públicos na Região Metropolitana de São Paulo. Cobertura atual e perspectivas de conectividade a médio prazo”. In: Sueli Ramos Schiffer. (Org.). Globalização e estrutura urbana. São Paulo: Hucitec, 2004, p. 242-271.
SMITH, Michael P. Transnational Urbanism: Locating globalization. Oxford: Blackwell Publishers, 2001.
VALLADARES, L.; PRETECEILLE, E. Reestruturação Urbana:Tendências e Desafios. São Paulo, Nobel, R.Janeiro, IUPERJ, 1990.
VELHO, Guilherme O. (org.). O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.
VEIGA, José Eli da. Cidades Imaginárias:o Brasil é menos urbano do que se calcula. Campinas, Ed. Autores Associados, 2002.
WARD, Stephen. Planning the 20th century city: the advanced capitalist world. Chichester, UK: John Willey, 2001.
WEBER, Max. Economia y sociedad: Esbozo de sociologia compreensiva. México: Fondo de Cultura Econômica, 1964. 2v.

Código
Créditos
Área de Concentração