FAUUSP
 

ESPAÇOS NARRADOS
a construção dos múltiplos territórios
da língua portuguesa

Seminário Internacional da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo

 

 

PROGRAMA FINAL

1.
Sessão de Abertura

29/out:               
16:00h _
Abertura do evento seguida da apresentação dramática da obra do escritor Guimarães Rosa pelas crianças do Grupo de Contadores de Estórias Miguilins, de Cordisburgo (MG), acompanhado pelas atrizes Dôra Guimarães e Elisa Almeida (Belo Horizonte/MG).
18:00h _ Abertura da exposição sobre a obra do Arquiteto Pancho Guedes, com a conferência da curadora Arquiteta Ana Vaz Milheiro


2.
Conferências

30 / out:             
11:00h _
Arquiteto Eduardo Souto de Moura
18:00h _ Escritor Milton Hatoum

31 / out:             
11:20h _
Arquiteto Paulo Mendes da Rocha
18:00h _ Cineasta Suzana Amaral

01 / nov:            
11:20h _
Arquiteto José Forjaz
18:00h _ Escritor Mia Couto


3.
Mesas Redondas (manhãs)

30 / out:              
8:30/9:00h:
Palestra: Importância nacional brasileira e internacional da língua portuguesa. - Maria Cecília Naclério Homem.
9:00/10:30h: Mesa Redonda 1 _ Espaços revelados na literatura e na língua portuguesa

  1. Cidades escritas na costa. Luanda e Maputo. - Madalena Cunha Matos
  2. Convergências Assimétricas. - Lucrécia D´Alessio Ferrara
  3. Palavra certa, justa medida. - Luís Antônio Jorge

Debatedor: Agnaldo Farias

31 / out:              
8:00/9:00h:
Mesa redonda 2: A memória como narrativa e constituição do patrimônio e da cultura - 1

  1. Narração, Espaço e Conformação de Cidades: O Rio de Janeiro por Gastão Cruls (1949); São Paulo por Ernani Silva Bruno (1954). - Marcia Regina Capelari Naxara
  2.  “De como a desterrada alma lusitana se lançou em numerosos e intrincados caminhos em busca de um passado melhor para os seus filhos exilados”. - Cecilia Rodrigues dos Santos

Debatedora: Maria Stella Martins Bresciani

9:00/10:00h: Mesa redonda 3: A memória como narrativa e constituição do patrimônio e da cultura - 2

  1. O discurso eloquente da arquitetura. Preceitos retóricos e edificação na América Portuguesa. - Mário Henrique Simão D’Agostino e Rodrigo Almeida Bastos

Debatedor: Ricardo Marques de Azevedo

10:00/11:00h: Mesa redonda 4: O discurso da imagem: narrativas não-verbais da arquitetura e da cidade

  1. Aspiração de progresso na cidade do trabalho: A espacialidade moderna do filme São Paulo, a sinfonia da metrópole (1929). - Rubens Luis Ribeiro Machado Júnior
  2. Uma experiência no aprendizado da fotografia, FAU USP 1977 - 1981". - João Musa

Debatedora: Ana Claudia Castilho Barone

01 / nov:             
8:00/9:30h:
Mesa redonda 5: A viagem e a constituição do campo da arquitetura e do urbanismo

  1. A viagem na arquitetura luso-brasileira: coreografia e iconografia, 1930-2010. - Carlos Eduardo Comas
  2. A viagem enquanto expectativa: a urbanidade das infra-estruturas de mobilidade. - Renato Anelli
  3. Arquitetura do Lugar: uma viagem pelas obras recentes do Brasil Arquitetura. - Mônica Junqueira de Camargo

Debatedora: Ana Vaz Milheiro

9:30h/11:00h: Mesa Redonda 6: As viagens: narrativas e cartografias como conhecimento do espaço, da paisagem e das cidades.

  1. A Leitura da Cidade Portuguesa na Cartografia Urbana Histórica. - Manuel C. Teixeira
  2. Inútil Paisagem: Memória e Utopia na Baía de Guanabara, de Jean de Léry a Lévi-Strauss. - Amilcar Torrão Filho
  3. Difuso e Recluso: o jardim como narrativa da cidade. - Maria Angela Faggin Pereira Leite

Debatedor: Jorge Bassani

4. Sessões Temáticas (tardes)

30 / out:             
14:00/15:30h
_ apresentações individuais em sessões simultâneas:


Sub-tema 1. O território da língua portuguesa e outros territórios: as crônicas, os inventários e a literatura.

Sessão 1:

  1. “Documentação Necessária” e “Guia de Ouro Preto”: Lucio Costa e Manuel Bandeira construindo a paisagem da recordação nacional. - Cláudio Rezende Ribeiro
  2. Mapa de trocas e caminhos da cidade de São Paulo em 1798. - Amália Cristovão dos Santos
  3. Política, Imprensa e lugares de memória: representações do Brasil e de Portugal na argumentação de monarquistas e republicanos “jacobinos” no contexto da “questão portuguesa” (1894-1895). - Izabel Andrade Marson
  4. Memórias Narradas: impressões sobre o antigo Convento Franciscano de Santa Maria Madalena, Alagoas.  - Ana Cláudia V. Magalhães
  5. O processo urbano na narrativa de Mário de Andrade. - João Bonett

Sub-tema 2. Patrimônio: modelos e práticas que viajam com a língua portuguesa.
Sessão 1:

  1. Goa: o enclave português na Índia. - Cláudia Estrela Porto
  2. Portuguese architectural adaptations to the architectures of the East and their legacy. - Pedro P d’A. Guedes  / Ronald B. Lewcock
  3. A distribuição das vilas ao redor das chaminés de Caieiras. - Vanice Jeronymo
  4. Cartografia das águas. Percepção e nomeação dos espaços através das vivências dos costeiros em duas comunidades pesqueiras no sul do Rio Grande do Norte. - Rubens Elias da Silva
  5. Os Cinemas na Memória Urbana. - Rodrigo Almeida Bastos / Adriana de Lima Sampaio / Sofia Arrias Bittencourt

Sub-tema 3: Arquitetura e Urbanismo: a navegação das idéias.
Sessão 1:

  1. Macau: Dentro e Fora dos Casinos. - Jorge Figueira
  2. Portugueses e brasileiros no debate cultural dos anos 1920 no Brasil. - Maria Lucia Bressan Pinheiro
  3. A procura do Brasil em Portugal. - José Pessôa
  4. Plástica e circunstância. As obras paralelas de Lucio Costa e Fernando Távora. - Felipe de Souza Noto
  5. Maurício de Vasconcellos: uma síntese brasileira na casa Rangel de Lima. - Maria Daniela Rosário Alcântara

 

16:00/17:30h _ apresentações individuais em sessões simultâneas:

Sub-tema 4: Viagens e iconografias.

Sessão 1:

  1. Crônicas de viagem de João do Rio a Portugal: flagrantes de temporalidade e cartografia de afetos. - Virginia Celia Camilotti
  2. A cidade do outro: representações simbólicas e mercantilização da imagem em guias. - Thereza Carvalho / Guilherme Meirelles
  3. A Rua da Estrada – o exotismo dentro do velho Portugal. - Álvaro António Gomes Domingues
  4. A gravura “Antiga Matriz de Maceió” e a narrativa da Maceió colonial. - Maria de Fátima de Mello Barreto Campello

Sub-tema 5: Cartografias: a palavra e o desenho.
Sessão 1:

  1. Mapas e registros de viagens como narrativas sobre núcleos goianos dos setecentos. - Adriano Felipe Oliveira Lopes / Maria Fernanda Derntl 
  2. O Patrimônio Antigo do Mundo Português e a Monumental Cartografia do V Império. - Fellipe de Andrade Abreu e Lima
  3. Cidades, Vilas e Fortalezas nos desenhos da Expedição Científica de Alexandre Rodrigues Ferreira. - Yara Felicidade de Souza Reis
  4. Narrativas da cidade nômade (ou: como cartografar o movimento?). - Gabriel Schvarsberg

Sub-tema 6: Do genius loci às paisagens físicas e imaginárias.
Sessão 1:

  1. As mônadas e as construções de intervenções urbanas. O Projeto DIZ-QUETES como linguagem entre a narrativa, a imagem e a arquitetura do urbano. - Fernanda de Aragão e Ramir
  2. Uma poética do esquecimento: quando a literatura é um território do efêmero. - Laura Castro de Araujo
  3. A fala dos passinhos errantes: a in-fância mensageira. - Ana Beatriz Goulart de Faria
  4. Imaginários infantis sobre a cidade. Uma alfabetização cultural. - Phrygia Arruda
  5. A construção do espaço escolar em Infância, de Graciliano Ramos. - Emerson de Pietri


31 / out:             
14:00/15:30h
_ apresentações individuais em sessões simultâneas:


Sub-tema 1. O território da língua portuguesa e outros territórios: as crônicas, os inventários e a literatura.

Sessão 2:

  1. A casa brasileira na literatura do século XIX. - Solange de Aragão
  2. A mulher e a casa na literatura do século XIX. - Patrícia Thomé Junqueira
  3. Usos dos espaços nas narrativas e textos memorialísticos de Joaquim Manuel de Macedo (1820-1882). - Joelma Santana Siqueira / Elaine Cavalcante Gomes
  4. Os olhos do poeta e o espaço habitado. - Rodrigo Vitorino Assumpção
  5. Representação na narrativa do escritor. Arquitectura, Literatura e Lisboa. - Miguel Baptista-Bastos / Maria da Soledade Paiva de Sousa

Sub-tema 2. Patrimônio: modelos e práticas que viajam com a língua portuguesa.
Sessão 2:

  1. Línguas Portuguesas: Arquitecturas do Mundo. - José Ferreira Crespo
  2. Narratividade e Arquitectura. O Renascimento Português com Holanda (1517-1584) e Rodrigues (c. 1525-1590). - José Manalvo
  3. A aparente paz em que agora nos achamos: a organização territorial na capitania de São Paulo do Século XVIII sob o Governo de Morgado de Mateus. - Renata Ferreira Munhoz.
  4. Restauro e projeto em viagem pelo tempo. – Eneida de Almeida

Sub-tema 3: Arquitetura e Urbanismo: a navegação das idéias.
Sessão 2:

  1. Cidade, imprensa e arquitetura: as crônicas e os debates de modernização em Porto Alegre, 1928-1937. - Maria Antonia Stumf Carreira, Cristiano Zluhan Pereira, José Tavares Correia de Lira e Cláudio Calovi Pereira
  2. Encontros e espaços de convivência. A cidade de São Paulo registrada pelos intelectuais de meados do século XX. - Sabrina Studart Fontenele Costa
  3. Metrópole e Expressão: o sentido da modernidade arquitetônica derivada do concreto armado. - Maria Luiza de Freitas
  4. Os alçapões floridos da teoria. - André Tavares

16:00/17:30h _ apresentações individuais em sessões simultâneas:

Sub-tema 4: Viagens e iconografias.

Sessão 2:

  1. Hemeterio José Velloso da Silveira: viagem pelas reduções jesuítico-guaranis no século XIX. - Caroline Backof Timm
  2. Estudantes em movimento: viagens pelo Brasil tradicional e moderno. -João Sodré
  3.  “Ao primeiro olhar”: o sertão nordestino na narrativa dos viajantes estrangeiros. -Esdras Arraes
  4. Escritos de viagem e a construção do espaço vivido por meio do deslocamento: cadernetas de campo e cartas de João Guimarães Rosa. - Fernanda Ribeiro Amaro
  5. Onde o sertão reside? a terceira margem da cidade. - Priscila Erthal Risi

Sub-tema 5: Cartografias: a palavra e o desenho.
Sessão 2:

  1. Desenhos: Estigmas e Narrativas. - Ivo Covaneiro
  2. São São Paulo. – Luísa Amoroso Guardado
  3. (,) é o que o desenho é: a importância da vírgula no dizer-se o espaço. - Pedro António Janeiro
  4. Sintagmas visuais: os vazios urbanos como lugar da narrativa. - Waldemar Zaidler
  5. Viagens pelo MASP: a experiência vivida encontra a experiência desenhada. - Marc Barreto Bogo / Mariana Ferraz de Albuquerque

Sub-tema 6: Do genius loci às paisagens físicas e imaginárias.
Sessão 2:

  1. Aldeia de Carapicuíba: tantos olhares. A construção de um território da língua portuguesa. - Sylvia Adriana Dobry-Pronsato, Denise Falcão Pessoa, Carlos Eduardo Zahn
  2. Entre o Projeto e o Território. Um estudo sobre as apropriações na cidade de Ipatinga (MG). - Janaina Chavier Silva
  3. Dos espaços de apropriação - o Minhocão de São Cristóvão. - Clara Passaro
  4. Cartografando a “cidade transumante”: reflexões a partir de uma pesquisa com trajetórias e narrativas urbanas da pobreza. - Thaís Troncon Rosa
  5. O que os olhos não vêem, mas o coração sente. O reconhecimento do espaço arquitetónico por invisuais. - Adriana Vieira / José Aguiar / João Branco Pedro


01 / nov:             
14:00/15:30h
_ apresentações individuais em sessões simultâneas:


Sub-tema 1. O território da língua portuguesa e outros territórios: as crônicas, os inventários e a literatura.

Sessão 3:

  1. Teatro da Trindade, das Variedades, de São Carlos e de D. Maria II: espaços arquitetônicos e socioculturais, em Lisboa. (Eça de Queiroz, 1845-1900). - Denise Rocha
  2. Os teatros de Eça. A arquitetura de teatros nas letras queirozianas. - Paulo Roberto Masseran
  3. Pelas ruas de Lisboa: Eça de Queiroz, o arquiteto das palavras. - Claudia Barbieri
  4. A construção de paisagens imaginárias por meio da linguagem poética Florbeliana. - Eliane Cristina Testa / Janete Silva dos Santos
  5. Literatura, Imaginação e Realidade. O leitor estrangeiro e a Bahia mágica de Jorge Amado. - Alessandra Castelo Branco Bedolini

Sessão 4:

  1. O Estrangeiro na poética de Ana Cristina Cesar. - Erica Martinelli Munhoz
  2. A Paisagem como Poética Visual e sua Leitura na Obra de João Cabral de Melo Neto: Recife e Sevilha pela lente da água. – Eliane Lordello
  3. Formas de ver a cidade, uma leitura de Luiz Ruffato e Rubens Figueiredo. - Paulo Roberto Tonani do Patrocínio
  4. Uma quebrada que fala, uma periferia que se escreve. - Laeticia Jensen Eble
  5. A favela na ficção: Cidade de Deus e a luta individual no espaço. - Keila Prado Costa

Sub-tema 3: Arquitetura e Urbanismo: a navegação das idéias.
Sessão 3:

  1. O discurso escrito de Oscar Niemeyer. - Alexandre Benoit
  2. O onírico, o símbolo, a metáfora e a ironia. Narrativas espaciais: Pancho Guedes. - Miguel Santiago
  3. Raul Lino, Fernando Távora, Álvaro Siza – o desenho como meio de comunicação. - Marly de Menezes Gonçalves
  4. Poética do desvelo - Casa do arquiteto (1964-67). Arquitetura e a estética do desvelo. – Maria Izabel Villac

16:00/17:30h _ apresentações individuais em sessões simultâneas:

Sub-tema 1. O território da língua portuguesa e outros territórios: as crônicas, os inventários e a literatura.

Sessão 5:

  1. LINGUAVIAGEM: poesia concreta e mudança na estrutura da experiência. - Givaldo Luiz Medeiros
  2. Cartografias do Amar: uma estética territorial da inoperositá em Helder e Agamben. - Frederico Canuto
  3. J. Cortázar e R. Smithson: considerações sobre o narrar, o fotografar e o caminhar no urbano. – Luciano B. Costa
  4. praça clóvis. – Gabriel Pedrosa
  5. ‘Clever Boy Samba’[1964]: em uma letra de canção de Caetano Veloso, um cinema cantado sobre Salvador/BA. - Luiz Carlos de Laurentiz

Sub-tema 3: Arquitetura e Urbanismo: a navegação das idéias.
Sessão 4:

  1. Intervenções em áreas centrais: as experiências que Coimbra e São Paulo podem partilhar. – Regina Soares de Oliveira
  2. A circulação das ideias urbanísticas na 2ª metade do século XVIII. Lisboa e a Praça do Comércio. - Mafalda Teixeira de Sampayo / Ana Maria Tavares Martins
  3. São Luis e Lisboa – diálogos da arquitetura luso Brasileira no Maranhão. - Grete S. Pflueger
  4. Os “arquitetos de ponta de guarda-chuva”: um estudo sobre as influências dos mestres de obra italianos na arquitetura paulistana. – Taís Freitas de Souza
  5. Urbanismos barrocos: dobras literárias na cidade. - Mylene Goudet

Sub-tema 6: Do genius loci às paisagens físicas e imaginárias.
Sessão 3:

  1. A narrativa revelando ou encobrindo espaços: um estudo sobre estereótipos no território amazônico. - Renata Nazaré Machado Tárrio dos Santos
  2. Édipos e Bernardos: inventores dos arquivos mnemônicos da cidade. - Paula Uglione / Cristiane Rose Siqueira Duarte
  3. Narrativas sobre um farol indelével. - Cynthia Nunes da Rocha Fortes
  4. Payador, pays, paysage. - João Paulo Serraglio
  5. Solstícios. - Juliano Gouveia dos Santos