Coletivos

Os Coletivos de alunos, organizados de forma autônoma e horizontal, são uma peculiaridade da FAUUSP. Diferente de outras escolas de Arquitetura-Urbanismo e Design, onde a organização das atividades dos alunos se dá, em geral, via Escritórios Modelo, nossos alunos se organizam através dos Coletivos. Existem atualmente na FAUUSP quinze Coletivos que são responsáveis, entre outras atividades, por propor projetos de Extensão Universitária em parceria com os docentes.
Atelier Fraccaroli
Atelier Fraccaroli

O Atelier de Escultura da FAUUSP, construído em 1980, abriga esculturas, modelos e ferramentas que constituem a memória do trabalho artístico do falecido professor e escultor Caetano Fraccaroli (1911-1987). Durante sua passagem pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Fraccaroli propôs estudar a expressão escultural de médio e grande porte como organização plástica do espaço tridimensional, ou seja, suas relações formais com o espaço em que se pretende intervir e organizar esteticamente, em termos de escala, material, implantação, iluminação e como parte integrante da arquitetura. O surgimento do Coletivo Atelier Fraccaroli, em 2017, se deu como oportunidade de explorar a prática artística, pouco presente no nosso cotidiano da FAU, além de um espaço a ser reivindicado pelos estudantes em seu caráter de atelier, como um espaço coletivo para a produção de conteúdos diversos e trocas de saberes.

@coletivo_fraccaroli
https://www.facebook.com.br/atelierfraccaroli/ 
coletivoatelierfracaroli@gmail.com

Brutalista
Brutalista

A Bateria foi fundada, em 2004, com ajuda das longínquas terras politécnicas. Hoje, com o nome Brutalista, brilha nos inters, baladas e campeonatos. Os batuqueiros adoram uma baderninha e são especialistas em integração. Na prática, estão sempre colantes nas festas (principalmente as que envolvem outros -crushs- Baterias Universitárias).
Os ensaios-encontros são realizados todas as segundas-feiras, saindo da nos vivência em direção à Praça do Relógio.

@bateriabrutalista
https://www.facebook.com/BATeriaBrutalistaFAUUSP

 

CoCriança
CoCriança

Coletivo interessado em repensar a cidade a partir da participação da criança. Atua na periferia, a partir de um método baseado em oficinas, oferecendo espaço para que crianças assumam o protagonismo enquanto agentes e usuárias do espaço urbano. Com elas, é feita desde a leitura do espaço cotidiano até a aplicação efetiva da tradução dos desejos específicos para a espacialidade. O Coletivo entende a criança também como influenciadora para o envolvimento da comunidade e aliada essencial para a ocupação e ressignificação dos espaços públicos. Com isso, a atuação se dá com pesquisa, mapeamento dos espaços sob o olhar da criança, tradução dos desejos de espaço e colaboração na ativação de uso dos lugares escolhidos, levando tanto a produções de cunho acadêmico quanto à produção projetual e reforma de espaços públicos urbanos e periféricos, buscando no processo instigar o pensamento crítico nas crianças.
O Coletivo surgiu em 2017 a partir do trabalho conjunto desenvolvido pelas disciplinas AUP0654 (GD Paisagem) e AUP0282 (GD Planejamento Urbano) com o objetivo de atuar em conjunto com os movimentos sociais na Brasilândia e dispor da leitura territorial para chegar-se a uma proposta única. O grupo de trabalho que iniciou esse coletivo decidiu trabalhar com crianças e não parou mais! Com a ajuda das professoras Catharina Pinheiro, Karina Leitão e com o apoio do CCA Elisa Maria e do educador Bruno César, além outros envolvimentos transformadores, o trabalho acadêmico transformou-se em projeto de Extensão

 

 

Cogumelo
Cogumelo

Criado em 2017, o Cogumelo é o primeiro Núcleo de Animação da FAUUSP. O núcleo deu continuidade ao antigo grupo de HQ da FAU, que atuou entre 1998 e 2010.
O principal objetivo do Coletivo é aprofundar conhecimentos em animação e produzir conteúdos de forma prazerosa e independente.

@cogumelo.studio
cogumelo.faud@gmail.com

Coletivo Caetés
Coletivo Caetés

O Caetés é um coletivo de estudantes de graduação, em sua maior parte do curso de Arquitetura e Urbanismo, formado no primeiro semestre de 2016 na FAUUSP. O grupo começou a se constituir em uma roda de conversa sobre Escritórios Modelo durante o segundo semestre de 2015, atividade envolvendo escritórios modelo, coletivos estudantis e assessorias técnicas. Consolidou-se como coletivo no primeiro semestre de 2016, no decorrer da Greve na Universidade de São Paulo, como resultado da união de estudantes com interesse comum em atuar diretamente com a sociedade e que compreendem a necessidade de retorno a ela do investimento público aplicado na formação de profissionais em uma universidade pública. Dessa forma, o coletivo busca funcionar como uma ponte entre sociedade civil e universidade.

Tem como objetivos:

  • Promover a aproximação entre teoria e prática;
  • Fortalecer a luta pelo acesso à terra e reforma agrária, buscando alternativas à produção e exploração capitalistas;
  • Buscar formas de desenvolver o projeto que permitam sua autossuficiência e continuidade após o afastamento do coletivo;
  • Defrontar o caráter excludente e mercadológico da arquitetura, urbanismo e paisagismo;
  • Compreender o processo produtivo, da concepção à execução do projeto, utilizando o trabalho não alienado para emancipação.

Entre os projetos desenvolvidos pelo Caetés destacam-se o Complexo Esportivo Dr. Sócrates Brasileiro na Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF), escola de formação política do Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST) e a Praça e Ciranda no Acampamento Irmã Alberta, também do MST.

@coletivocaetes
caetescoletivo@gmail.com
https://www.facebook.com/coletivocaetes

Coletivo Feminista Mayumi Watanabe
Coletivo Feminista Mayumi Watanabe

O COLETIVO FEMINISTA MAYUMI WATANABE é um coletivo de mulheres da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP) que busca criar um espaço acolhedor onde todas de nossa comunidade possam compartilhar medos e experiências.
O principal objetivo do Coletivo é formar uma rede de apoio, onde todas as mulheres possam se sentir seguras e contempladas, além se aprofundar nas discussões dos diferentes assuntos sobre feminismo.
Sem seguir nenhuma corrente específica do movimento, lutam por um feminismo inclusivo e acolhedor para todas as realidades.
Criado em 2014, o nome do Coletivo é uma homenagem à arquitetura Mayumi Watanabe, ex-aluna da FAUUSP e ex-presidente do GFAU.

 

@coletivomw
coletivomayumiw@gmail.com
www.facebook.com/feminismonafau

Contraste
Contraste

A Revista Contraste é uma publicação estudantil organizada e produzida por alunos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. O primeiro número da revista foi lançado em abril de 2013, com a temática “Memória”.
A Contraste procura movimentar e preservar história das publicações estudantis da FAU, a partir do desejo permanente de extrapolar os limites das discussões de Arquitetura e Urbanismo possíveis no currículo acadêmico, bem como observar discussões da arquitetura e da cidade sob pontos de vista não convencionais.
A Revista é feita com o apoio do Laboratório de Produção Gráfica, o LPG, que permite aos alunos realizar muitos processos experimentais com artes impressas.

@revistacontraste
https://www.facebook.com/revcontraste
contraste.edit@gmail.com
https://issuu.com/revcontraste

FAU Social
FAU Social

Criada em 2015, a FAU Social foi pensada como uma possibilidade para que a experiência universitária dxs fauanxs não ficasse apenas na sala de aula e se complemente com oportunidades de pensar e construir soluções conjuntamente com pessoas que precisem de algum suporte dentro do nosso campo de atuação.
O coletivo tem como objetivo promover o diálogo entre agentes do espaço para identificar quais são suas reais necessidades, repensar espaços de convívio e, principalmente, tornar acessível o pouco que conhecemos para que mais pessoas tenham autonomia para exigir seus direitos.
Os projetos são desenvolvidos a partir de seis categorias: Intervenções pontuais e revitalizações; Mapeamentos; Instrumentos de empoderamento da informação; Incentivo da relação pessoa-local; Oficinas de desenvolvimento criativo; e Projetos visuais.

@fausocial
fausocial@gmail.com
https://www.facebook.com/fausocial

Inflou
Inflou

INFLOU é um laboratório experimental de pesquisa e projeto em arquitetura efêmera e urbanismo tático, tendo como especialidade a concepção e confecção de estruturas pneumáticas. Os projetos são elaborados nos campos da cultura, arte e educação, a partir dos valores da sustentabilidade, ensino de arquitetura e experimentação artística. A partir do uso de dispositivos infláveis, são promovidas a prática e a ativação dos espaços urbanos, valorizando a possibilidade de novas trocas e encontros. Para cada novo projeto o grupo abre uma chamada para colaboradores interessados em aprender mais sobre as etapas de projeto e técnicas utilizadas, além de somar no processo criativo.
Surgido em 2017, numa oficina durante a semana dos bixos, o Inflou preserva uma íntima relação com o edifício projetado por Villanova Artigas, ocupando o Salão Caramelo como ateliê de pesquisa e experimentação, afirmando a possibilidade de livre produção na universidade.

@inflou_inflou
contatoinflou@gmail.com

Lero Lero
Lero Lero

O Lero Lero é um coletivo da FAU que, através de visitas monitoradas por professores e profissionais da área, pretende aproximar os alunos a projetos de arquitetura, urbanismo, design e artes. A realização de visitas monitoradas parte do entendimento de que o contato direto com os objetos de estudo e com seus respectivos pensadores é essencial para aa formação e crescimento pessoal dos estudantes de Arquitetura, Urbanismo e Design.
E também que nada é melhor do que uma boa conversa.

@lerolero.fau
lerolero.fau@gmail.com
https://www.facebook.com/lerolerofau

Malungo Coletivo Preto da FAUUSP
Malungo Coletivo Preto da FAUUSP

Em 2017, a partir da entrada dos primeiros alunos cotistas nos cursos de Arquitetura e Urbanismo e Design, o desejo de criação de um coletivo negro na FAUUSP foi finalmente realizado.
O nascimento do Coletivo Projeto Preto, depois Malungo Coletivo Preto da FAUUSP, foi marcado com festa: o Happy Hour do dia 12/maio/2017, que marcou não só a inauguração de uma nova instituição, mas a união e reconhecimento dos pretos da FAUUSP.
O Coletivo visa construir no espaço acadêmico um ambiente acolhedor e de luta para os estudantes pretos da FAUUSP.
Os membros do Malungo têm agido de forma a corroborar os eixos do Malungo, com reuniões, formações e por meio da atuação na Academia com pesquisas, exposições e outros projetos que tragam para o cotidiano o debate sobre racismo, segregação e representatividade.
Entre as atividades do Coletivo estão a participação no acolhimento dos novos alunos negros nas Atividades de Recepção aos “Bixos” da FAUUSP, os projetos “Preta é a minha pele, preto é o local onde moro” e “Ensino do Design: por quem, para quem?”, e a disciplina “Negritude, Cultura e Cidade”.

@coletivomalungo
malungocoletivo.fau@gmail.com

Traços
Traços

Formado por estudantes da FAUUSP em 2018, o Traços é um coletivo que busca estimular, valorizar e difundir a prática e o estudo do desenho por alunos da FAU, dentro e fora da universidade. A partir do princípio de que o desenho é não só uma ferramenta essencial à formação e atuação de arquitetos, urbanistas e designers, mas também um instrumento de sensibilização em relação a tudo aquilo que nos cerca, o Traços promove encontros abertos à comunidade FAU com objetivo de desenhar à luz de diferentes temas, propósitos e escalas. Além do respeito ao traço de cada um, o coletivo busca propiciar nos encontros um ambiente de troca entre os participantes (de técnicas, suportes, estilos, impressões). Desta forma, o Traços faz de um ato individual, que é o desenhar, um ato coletivo e plural, construído a partir do trânsito de saberes entre os participantes dos eventos.

@coletivotracos
https://www.facebook.com/coletivotracos/




Expediente
Profa. Dra. Camila D’Ottaviano
Presidente da Comissão
Prof. Dr. Jorge Bassani
Vice-Presidente da Comissão
Elizabete Melchior
Secretária
Contato:
cceufau@usp.br
+55 (11) 3091 5085
Atendimento ao público:
De segunda-feira a sexta-feira, das 7h30 às 16h30 (intervalo das 12h às 13h)
Páginas relacionadas